Rebeca- Mulher Manipuladora

O casamento de Rebaca com Isaac pode ser descrito como que feito no céu. Encontramos uma história no capitulo 24 de gênesis. Apesar do começo tão bonito que ela e Isaac tiveram, o relacionamento de ambos e sua vida familiar desmoronou por completo. Rebeca nunca aprendeu como administrar adequadamente um lar.

Podemos aprender muito com a vida de Rebeca, mesmo sendo ela um exemplo daquilo que não devemos fazer. Sua vida teve muitos problemas que devemos tentar evitar.

 

Abraão envia seu servo- a primeira parte da história de Rebeca nos conta como ela e Isaac se conheceram. Abraão deixou sua terra natal para seguir a direção de Deus até a terra que Ele prometera á ele e seus descendentes. Abraao não queria que Isaac se casasse com a filha dos idólatras . Por essa razão Abraão enviou o servo que mais confiava para encontrar uma esposa para Isaac. Ao encontrar os familiares de Abraão, ele lhes explicou o propósito dele estar ali. Genesis 24:42-27 relata sobre o encontro do servo e da rebeca e como foi até a casa do irmão do Abraão.

O servo reconheceu imediatamente que a mão de Deus o havia guiado até Rebeca. Ela era parente de Abraão. Ele prostrou-se e adorou a Deus. Encontramos a clara resposta de Rebeca em Gênesis 24:58.

Rebeca juntou seus pertences e partiu com o servo de Abraão para um lugar desconhecido e para se tornar esposa de um homem que não conhecia.

Ao responder “Sim, quero”, ela expressou seu desejo de obedecer a Deus. Mas a pergunta que cada um de nós devemos responder é a seguinte: “Estou pronta para seguir a Deus onde Ele me guiar quando sua direção estiver claramente definida?”

 

Rebeca e Isaac se conhecem-   “E Isaac saíra a orar no campo, à tarde; e levantou os seus olhos, e olhou, e eis que os camelos vinham.

64 Rebeca também levantou seus olhos, e viu a Isaac, e desceu do camelo.

65 E disse ao servo: Quem é aquele homem que vem pelo campo ao nosso encontro? E o servo disse: Este é meu senhor. Então tomou ela o véu e cobriu-se.

66 E o servo contou a Isaac todas as coisas que fizera.

67 E Isaque trouxe-a para a tenda de sua mãe Sara, e tomou a Rebeca, e foi-lhe por mulher, e amou-a. Assim Isaac foi consolado depois da morte de sua mãe.” – Gn 24:63-67

 

A vida Matrimonial de Rebeca- o amor de Isaac e Rebeca era um sentimento mútuo, eles casaram e desfrutaram das bênçãos de Deus sobre suas vidas. Porém apesar de estado casados por 20 anos, ainda não tinham filhos. Isaac orou pedindo um filho e Deus respondeu dando-lhes meninos gêmeos. Mesmo antes, Rebeca sentia uma grande luta interior. Ela orou sobre isso e Deus avisou que ela estava grávida de gêmeos. Essa profecia se encontra em Gênesis 25:27-28.

À medida que Esaú e Jacó iam crescendo, lutavam continuamente entre si. Um dia Esaú voltou do campo e muito faminto, vendeu seu direito de herança como filho primogênito a Jacó em troca de um prato de lentilhas. Essa atitude permitiu que Jacó tivesse direito à maior porção da herança e a uma maior benção espiritual.

Ao envelhecer e perder sua visão, Isaac decidiu que era tempo de dar sua benção ao seu filho mais velho. Rebeca percebeu e queria que seu filho favorito, Jacó recebesse a benção no lugar de Esaú. E foi ela quem convenceu Jacó a enganar seu pai e ainda ajudou na mentira.

Quando Jacó descobriu o fato, ficou muito furioso e quis matar Jacó. Pra salvá-lo, Rebeca o mandou pra casa do irmão dela, Labão. Jacó trabalhou lá por 20 anos. Quando voltou, sua mãe já havia morrido. Por sua fraude, Rebeca nunca mais reviu seu filho favorito.

 

Lições da Vida de Rebeca- O que aconteceu na casa de Isaac e Rebeca? Quando começaram a errar? Após um começo tão bonito, eles deveriam ter vivido felizes para sempre. O que podemos aprender com isso?

Rebeca se esqueceu da soberania divina, por Deus havia dito que o mais velho serviria o mais novo. Ela devia ter confiado em Deus esperando Ele agir. Ao invés de ter esperado, ela decidiu fazer tudo à sua própria maneira.

Não queira ‘’ajudar’’ Deus pra ‘’facilitar’’ o trabalho divino. Tal pensamento não é sensato, porque agindo assim cometeremos sempre o mesmo erro.

Outro erro foi o injusto favoritismo que causou sérios transtornos á família, isso foi devastador. Precisamos examinar o próprio lar e relacionamentos. Frequentemente nossa atitude em relação aos filhos influenciam o relacionamento com o cônjuge.

 

Rebeca era uma linda mulher com muitas virtudes. Ela era inteligente, amável, ágil em seu pensar, com grande iniciativa e voluntariosa. Entretanto, Rebeca permitiu que o amor por seu filho mais novo a tornasse em uma mulher fraudulenta, traindo seu próprio marido.

Não devemos seguir o mau exemplo de Rebeca, mas devemos permitir que Deus controle nossa personalidade por meio do seu Espírito.

 

 

Com amor. ..Francis Fais

 

 

 

 

A presença de milagres indica que uma igreja é verdadeira?

Nossa, naquela igreja tem milagres! Deus está ali! Esta é uma frase dita por muitas pessoas que, fascinadas pelos milagres, os usam como referência máxima de que a mão de Deus está no lugar em que os supostos milagres estão.

O fato de uma igreja mostrar o acontecimento de milagres em seu templo prova que ela é uma igreja verdadeira e que seus líderes são verdadeiros servos de Deus?

A resposta é um sonoro não! Isso porque milagres não são referenciais absolutos de que uma igreja prega o verdadeiro Evangelho de Cristo (lembremos que há relatos de milagres em todas as religiões, até nas falsas). Por isso, milagres é um referencial um tanto perigoso, principalmente porque milagres podem ser manipulados.

Milagres manipulados pelo ser humano

Que o ser humano pode usar da arte do teatro para enganar, ninguém discute. Ao adentrar algumas igrejas, ninguém sabe o que se passa por detrás dos cultos. Eu mesmo conheço histórias de pessoas que foram pagas para simular “milagres” em cultos. E de outras que são sugestionadas ou quase hipnotizadas pelo ambiente e habilidade de alguns líderes. A ânsia pelos templos lotados, pelas ofertas e pelo poder tem feito líderes apelarem a certas “mentirinhas” para manter o povo cheio de “fé”. Os milagres, em nossa cultura, são garantia de igreja e cofres cheios, concorda?

Milagres manipulados pelo diabo

Interessante notar que a Bíblia está cheia de advertências nos alertando para ficarmos espertos com sinais e prodígios (dos quais podemos incluir os milagres).

“porque surgirão falsos cristos e falsos profetas operando grandes sinais e prodígiospara enganar, se possível, os próprios eleitos.” (Mt 24. 24).

“Ora, o aparecimento do iníquo é segundo a eficácia de Satanás, com todo poder, e sinais, e prodígios da mentira” (2Ts 2. 9).

“Exerce toda a autoridade da primeira besta na sua presença. Faz com que a terra e os seus habitantes adorem a primeira besta, cuja ferida mortal fora curada. Também opera grandes sinais, de maneira que até fogo do céu faz descer à terra, diante dos homens.” (Ap 13. 12-13)

“E não é de admirar, porque o próprio Satanás se transforma em anjo de luz. Não é muito, pois, que os seus próprios ministros se transformem em ministros de justiça; e o fim deles será conforme as suas obras.” (2Co 11. 14-15)

Ou seja: Sinais e prodígios não são indicadores absolutos de que os que os fazem são de Deus. Pode ser tudo manipulação do mal. Nos textos acima vemos claramente o poder de engano do mal. E onde esse mal irá operar seus enganos? Em algumas igrejas! É lá que ele buscará enganar. É lá que ele fará seus milagres de mentira. É o joio crescendo e tomando seu espaço!

É evidente que não estou negando que haja sinais e prodígios vindos de Deus e feitos através de servos verdadeiros, pois eles existem, e fazem parte da obra de Deus. O que precisa ficar claro é que sinais e prodígios não são os referenciais que provam que algo é de Deus ou não.

Mas qual é o referencial, então?

O referencial é a Bíblia. A igreja verdadeira é apoiada na Palavra. Sendo assim, os cultos são centralizados e apoiados na exposição da Palavra de Deus e na pessoa de Jesus Cristo, que é o centro da Bíblia, e não em milagres ou qualquer outro sinal visível de poder. Assim, devemos avaliar o todo: A tal igreja prega corretamente a Bíblia? Tem tempo suficiente em seus cultos para a exposição da Palavra? Prega heresias como a teologia da prosperidade e o culto aos milagres? Prega doutrinas estranhas que não se enquadram no que a Bíblia diz? Tem ênfase em Jesus Cristo ou nos sinais que fazem seus líderes?

Todas essas questões nos ajudam a avaliar, olhando muito além dos milagres, se uma igreja está verdadeiramente pregando e vivendo a vontade de Deus, ou é palco da manifestação da falsidade enganadora do mal.

Deixo para finalizar uma palavra do apóstolo Paulo, que diz acertadamente: “Mas, ainda que nós ou mesmo um anjo vindo do céu vos pregue evangelho que vá além do que vos temos pregado, seja anátema (amaldiçoado).” (Gl 1. 08)

Fiquemos alerta! Os milagres existem, mas nem todos são o que parecem ser!