Um compromisso para uma Grande Comissão

Quantas visões EG White “recebeu” por dia?
02/08/2015
Remorso e Arrependimento – Palavra da Semana #14
02/08/2015

Um compromisso para uma Grande Comissão

“Ide por todo o mundo e pregai o Evangelho a toda a criatura” (Marcos 16:15)

“O Evangelho a toda a criatura” tem um toque tão cheio de poder e propósito. Não há maior objetivo na vida cristã do que dar tudo por causa do Evangelho – dirigir a vida de alguém de modo que as Boas Novas de Jesus Cristo possam ser pregadas para cada pessoa na nossa geração. Podemos nos assegurar de que os homens viveram e morreram por coisas menores! Portanto, não desperdicemos nossas vidas em nada menor que o grande chamado de Deus em Cristo e a difusão do Evangelho por todo o mundo.

Servindo Nossa Geração

Enquanto estava pregando aos judeus de Antioquia em Pisídia, o apóstolo Paulo deu ao rei Davi um dos maiores elogios que podem ser dados a qualquer pessoa. Ele declarou:

 

“Porque, na verdade, tendo Davi servido à sua própria geração, conforme o desígnio de Deus, adormeceu…” (Atos 13:36)

Apesar de todas as suas falhas e fracassos, este é o testemunho das Escrituras: que o rei Davi serviu o desígnio de Deus na sua geração. Se isso pode ser dito de um santo do Antigo Testamento, quão mais pode ser dito de nós que carregamos o nome de Cristo e temos um entendimento mais completo de seu Evangelho? Nós fomos comprados pelo sangue do Cordeiro; portanto, não devemos mais viver para nós mesmos, mas para aquele que morreu e ressuscitou em nosso favor (II Coríntios 5:15). Somos feitura dele, criada em Cristo Jesus para fazermos boas obras; então devemos nos esforçar para andarmos nelas e não nos fatigarmos. (Efésios 2:10). Fomos transferidos para o Reino do amado Filho de Deus (Colossenses 1:13); assim, o clamor de nossos corações e o labor de nossas vidas deve ser:

 

“Venha o teu reino; seja feita a tua vontade, assim na terra, como no céu.” (Mateus 6:10)

Embora nossa geração seja apenas uma entre muitas, ainda é a nossa geração e aquela pela qual somos responsáveis. Não fomos chamados por Deus para fazer a sombra do sol recuar dez degraus e reparar o passado, nem fomos chamados para nos apressarmos para o futuro e arrumar as coisas como deverão ser. No entanto, somos chamados para levar adiante o propósito de Deus nesta presente geração, para sermos mordomos de Deus neste momento da história humana, para pregar o Evangelho de Jesus Cristo a todo homem, mulher e criança debaixo dos céus. Apenas então poderemos nos unir ao apóstolo Paulo em sua triunfal declaração em face à morte:

 

“Combati o bom combate, completei a carreira, guardei a fé. Já agora a coroa da justiça me está guardada, a qual o Senhor, reto juiz, me dará naquele Dia; e não somente a mim, mas também a todos quantos amam a sua vinda.” (II Timóteo 4:7-8)

Querendo ou não, todos teremos algum grau de influência sobre a nossa geração e todos estaremos diante de Deus e prestaremos conta de nós mesmos. Então, nós que conhecemos melhor devemos procurar influenciar nossa geração de acordo com a vontade e o propósito de Deus, e, portanto, assegurar-nos da alegria de uma consciência tranquila no dia de nossa morte. Viver bem é morrer bem.

Nossa Influência Através do Evangelho

A menos que você viva em uma caverna ou em alguma ilha remota no mar, você sabe que o mundo está passando por algo como uma reviravolta. Nos Estados Unidos, estamos testemunhando mudanças históricas no nosso governo, economia e crenças fundamentais. Muitos das convicções políticas, econômicas e religiosas sobre as quais este país foi fundado são postas de lado sem se pensar duas vezes. Enquanto isso, as igrejas parecem ter quase nenhum poder político ou econômico para se manter contra esta rápida deformação e eventual colapso da nação.

Esta verdade não deve nos levar ao desespero, mas a nos agarrarmos mais fervorosamente ao Evangelho e sua proclamação a nossa geração. Novas administrações podem acabar com vitórias de quarenta anos de política conservadora com um único golpe de uma caneta. No entanto, os exércitos combinados dessas administrações não podem desfazer o que Deus tem forjado no coração de único indivíduo. Este não é o tempo para recuar, mas para abandonar todas as metodologias e manobras não bíblicas que tanto enfraquecem e entravam a igreja moderna e voltar à verdade de um Evangelho sem edições ou maquiagens. É a pregação do Evangelho e a obra de regeneração do Espírito Santo nas vidas dos indivíduos, que no final das contas subjugam a perversidade de uma cultura pagã e a transforma em uma cidade de Deus!

Estou Decidido…

Em setembro deste ano [2009], estarei a dois anos dos cinquenta. Eu não sou idoso, mas também não sou nenhum jovem. Falando francamente, estou mais perto do túmulo que do berço. Esta realidade não me incomoda ou desespera, mas sim acende um senso de urgência no meu coração. Eu quero ser mais como Cristo e quero ser um servo mais eficiente e fiel. Eu recordo minhas muitas falhas no passado, mas não posso voltar atrás o relógio, e não posso consertar o que já está feito. No entanto, posso esforçar-me rumo ao futuro e lutar mais fortemente para alcançar aquilo para o qual Deus estabeleceu nos alcançou: a conformidade com Cristo, a proclamação do Evangelho a toda criatura, a transformação de indivíduos e culturas pelo poder da Cruz.

Minha esperança e oração é para que você se junte a mim na renovação de um compromisso em sermos servos obedientes de Deus e entregarmos nossas vidas aos seus desígnios em nossa geração. Que:

 

consideremos tudo como escória, para que possa ganhar a Cristo (Filipenses 3:8).

esqueçamos das coisas que ficam para trás e avencemos em direção ao prêmio da vocação celestial de Deus em Cristo Jesus (Filipenses 3:13-14).

coloquemos de lado todo impedimento e pecado e corramos com perseverança a carreira que nos está proposta (Hebreus 12:1).

possamos ir por todo o mundo e pregar o Evangelho a toda a criatura. (Marcos 16:15).

Tal compromisso é, sem dúvida, digno de ser feito e renovado. Essa é uma vida que certamente vale a pena viver!

Resoluções de Edwards

Eu vou terminar essa breve exortação por renovo com umas poucas e úteis resoluções das Setenta Resoluções escritas por Jonathan Edwards. Ele as escreveu entre os anos de 1722 – 1723, quando tinha apenas dezenove anos de idade:

“Estando ciente de que sou incapaz de fazer qualquer coisa sem a ajuda de Deus, humildemente lhe rogo que, através de sua graça, me capacite a cumprir fielmente estas resoluções, enquanto elas estiverem dentro da sua vontade, em nome de Jesus Cristo”

• Resolvi que farei tudo aquilo que seja para a maior glória de Deus e para o meu próprio bem eterno, durante toda minha vida…

• Resolvi que farei tudo o que sentir ser o meu dever e que traga benefícios para a humanidade em geral, não importando quantas ou quão grandes sejam as dificuldades que venha a enfrentar.

• Resolvi, também, nunca negar alguma maneira ou coisa difícil, seja no corpo ou na alma, que leve à glorificação de Deus;

• Resolvi jamais desperdiçar um só momento do meu tempo; pelo contrário, sempre buscarei formas de torná-lo o mais proveitoso possível.

• Resolvi viver usando todas minhas forças enquanto viver.

• Resolvi jamais fazer alguma coisa que eu não faria, se soubesse que estava vivendo a última hora da minha vida.

• Resolvi tudo fazer como o faria caso já tivesse experimentado toda a felicidade celestial e todos os tormentos do inferno.

• Resolvi esforçar-me para obter para mim mesmo todo bem possível do mundo vindouro, tudo quanto me seja possível alcançar de lá, com todo meu poder, vigor, veemência, violência interior mesmo, tudo quanto me seja possível aplicar e admoestar sobre mim, de qualquer maneira que me seja possível pensar e aperceber-me.

• Resolvi esforçar-me ao máximo, a cada semana, para ser levado a um patamar mais real de meu exercício religioso e a um patamar mais elevado de graça do que tive na semana anterior.

• Resolvi, constantemente, empreender num escrutínio e exame minucioso, olhar qual o estado real de toda a minha alma, verificando por mim mesmo se realmente mantenho um interesse genuíno e real por Cristo ou não.

• Resolvi nunca desistir, nem nunca tornar-me permissivo com qualquer de minhas corrupções, mesmo caso me ache numa senda de falta de sucesso nessa mesma luta.

• Supondo que nunca existiu nenhum indivíduo neste mundo, em nenhuma época do tempo, que nunca haja vivido uma vida cristã perfeita em todos os níveis e possibilidades, tendo o Cristianismo sempre brilhante em todo o seu esplendor, e parecendo excelente e amável, mesmo sendo essa vida observada de qualquer ângulo possível e sob qualquer pressão, eu resolvi agir como se pudesse viver essa mesma vida, mesmo que tenha de me esforçar no máximo de todas as minhas capacidades inerentes e mesmo que fosse o único em meu tempo

Pr.Raul
Pr.Raul
Pastor do Ministério Nascido de Novo e coordenador do Seminário Teológico Nascido de Novo, Youtuber e marido da Irmã Vanessa Ângelo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *