Teologia Do Novo Testamento – A Teologia de João – Introdução

Avaliação da “Visão G-12”
28/06/2014
Cuidado com o outro evangelho
29/06/2014

 

Nos capítulos a respeito da missão e ensino de Jesus fizemos uso primariamente dos Evangelhos Sinóticos, com referência somente ocasional ao Quarto Evangelho. As diferenças entre João e os Sinóticos não devem ser encobertas. Tais diferenças na teologia são corolários às diferenças relacionadas a problemas de introdução.

Seu Ministério » Sinóticos » Galiléia João » Jerusalém
Páscoa » Sinóticos » 1 vez João » 3 vezes = 2.13; 6.4; 13.1.

Omissão do 4o Evangelho:

João:

  1. o nascimento de Jesus;
  2. o batismo;
  3. a transfiguração;
  4. a expulsão de demônios;
  5. a agonia no Getsêmane;
  6. a última ceia;
  7. o discurso no Monte das Oliveiras.
Sinóticos:

Mt; Lc;

 

O uso literário, e estilo do grego, são pontos que revelam esta diferença entre os Sinóticos e o 4o Evangelho.

Por outro lado, ênfases Joaninas mais distintivas estão ausentes nos Sinóticos. Talvez a expressão peculiar mais distintiva de João seja a declaração [ego eimi]: “Eu sou o pão da vida”, 6.35; “a luz do mundo”, 8.12; “a porta”, 10.7; “o bom pastor”, 10.11; “a ressurreição e a vida”, 14.6; “a videira verdadeira”, 11.25; “antes que Abraão fosse, eu sou”, 8.58.

1.1.      A diversidade e unidade da Bíblia

Quem tiver examinado, ainda que não muito profundamente, a Bíblia, há de ter notado duas coisas: a sua diversidade e a sua unidade. Do ponto de vista da sua diversidade o Novo Testamento divide-se naturalmente em seis grandes divisões:

  1. os Evangelhos;
  2. o 4o Evangelho e as cartas de João;
  3. os Atos dos Apóstolos, as cartas de Pedro e Tiago;
  4. as cartas do apóstolo Paulo;
  5. a carta aos Hebreus;
  6. o Apocalipse.

É tarefa da Teologia Bíblica definir bem as peculiaridades de cada uma destas grandes divisões, explicando os diversos tipos de ensino e os pontos de vista que se encontram nas Escrituras Sagradas.

1.2.      A pessoa de Cristo, o centro de sua teologia

Destas peculiaridades a primeira que queremos notar, é que para João a pessoa de Cristo é o centro de tudo. Na realidade Cristo é o centro de toda a teologia das diversas porções, ou livros, que compõem a Bíblia; há, porém, algumas diferenças no conceito.

  1. Na teologia de Paulo, a obra de Cristo, especialmente o sacrifício da cruz, é onde este vê toda a glória de Deus – Gl 6.14;
  2. Mas a ênfase de João é na própria pessoa de Cristo que se vê realmente a face e a glória de Deus. “quem me vê a mim vê o Pai” – Jo 14.9b. É a grande impressão que a própria pessoa de Cristo fez em João, que domina toda a sua teologia.
Pr.Raul
Pr.Raul
Pastor do Ministério Nascido de Novo e coordenador do Seminário Teológico Nascido de Novo, Youtuber e marido da Irmã Vanessa Ângelo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *