O Pedido Da Sabedoria Ao Seu Filho – Esboços Bíblicos

O Grande Ministério Galileu – Panorama do NT
19/07/2016
Ministério Posterior – Panorama do NT
20/07/2016

O Pedido Da Sabedoria Ao Seu Filho – Esboços Bíblicos

Meu filho, dê-me o seu coração (Provérbios 23.26).

É a sabedoria que fala aqui. A sabedoria é apenas outro nome para Deus, ou, melhor ainda, para o Senhor Jesus, que é sabedoria encarnada. O pedido é para o coração, as afeições, o centro de nosso ser. “Dê-me seu coração” é o primeiro pedido, o pedido diário, o principal, o pedido máximo do Espírito bom.

  1. O AMOR MOTIVA ESTE PEDIDO DE SABEDORIA.
  2. Só o amor busca assim amor. A indiferença se importa com o amar a outros? Se ela pode servir a sua própria vez pelas mãos deles, os corações deles podem ir onde quiserem.
  3. Só por amor a sabedoria buscaria os corações de coisas tão pobres como nós somos. Que serviço podemos prestar àquele a quem anjos adoram? Que importa o nosso amor ou ódio a ele?
  4. Mas a sabedoria ganha um filho quando o coração lhe é dado, pois ninguém é um filho verdadeiro que não ama. “Aquele que ama é nascido de Deus.”
  5. Se a pessoa já é filho, o amor de Deus manda que nos tomemos ainda mais sábios por meio de uma entrega ainda mais completa do coração a Deus, a Cristo, à sabedoria. Não podemos levar esse preceito longe demais.
  6. A SABEDORIA NOS PERSUADE A OBEDECER A ESTE PEDIDO AMOROSO. É para nosso bem duradouro amar ao Senhor e sua sabedoria.
  7. Maus amantes nos procurarão, e nossos corações serão dados a um ou a outro. Para nossa ruína ou nosso enobrecimento haverá a escolha. Aquele que tem o coração tem o homem.
  8. É bom estar ocupado com o amor mais nobre para que possamos vencer o mais baixo. O servo de Deus não pode ser escravo de Satanás.
  9. Agradará a Deus nós o amarmos; um pai fica encantado com o amor de sua criancinha. Que honra, que herança, que céu ser permitido amar ao Senhor!
  10. Nenhuma outra coisa pode agradá-lo. O que quer que façamos sem o nosso coração irá entristecê-lo; será uma formalidade vazia. Peixes nunca foram oferecidos a Deus; pois eles nunca puderam chegar ao altar sozinhos. Os pagãos consideravam ser um mau agouro quando o coração da vítima não era são.
  11. Ele merece o nosso coração, porque ele o fez, ele o conserva batendo, ele o alegra, ele o comprou, ele o prepara para o céu, ele dá coração por coração – seu próprio amor pelo nosso.
  12. Não há como receber sabedoria sem dar o coração a ele. Deus não dará a si mesmo para os que não têm coração. Nada pode ser bem feito a não ser que o coração seja dado àquilo.

III.                  O AMOR QUER QUE OBEDEÇAMOS AO PEDIDO SABIAMENTE.

–                 Dê a Deus seu coração imediatamente. A demora é má e injuriosa.

–                 Dê a Deus seu coração livremente. Meio coração não é coração. Um coração dividido está morto. “Deus não é o Deus dos mortos.”

–                 De uma vez por todas, dê a ele o seu coração, e deixe que fique guardado com ele: para sempre. Onde está o seu coração agora?

Em que estado está? Não está frio, mundano, desassossegado? Venha – creia em Jesus para que você possa receber poder para tornar-se um filho de Deus e servi-lo com coração amoroso.

CITAÇÕES SELETAS

De todos os pretendentes que vêm a você, parece que não há nenhum com qualquer título para reivindicar o coração senão Deus, que desafia recebê-lo de você, chamando-o pelo nome de filho (Ml 1.6) como se dissesse: “Tu o darás a teu Pai, que o deu a ti. És tu meu filho? Meus filhos me dão os seus corações, e com isso sabem que eu sou seu Pai, se eu habito em seus corações, pois o coração é o templo de Deus” (1Co 6.16). Portanto, se tu és filho, tu me darás teu coração.

Podes tu negar algo a ele, cuja bondade nos criou, cujo favor nos elegeu, cuja misericórdia nos remiu, cuja sabedoria nos converteu, cuja graça nos preservou, cuja glória nos glorificará? Ah, “se você soubesse”, como Cristo disse para a mulher de Samaria, “quem lhe está pedindo”, dê-me o teu coração, então dirias a ele, como Pedro fez quando Cristo iria lavar seus pés (João 13.9), “Senhor, não apenas os meus pés, mas também as minhas mãos e a minha cabeça”, não meu coração somente, mas todo meu corpo, e meus pensamentos, e minhas palavras, e meu trabalho, e meus bens, e minha vida; tome tudo que tu tens dado. Se me perguntam por que vocês devem dar seus corações a Deus, eu não respondo como os discípulos que foram atrás da jumenta e potro, “O Senhor precisa deles” (Mt 21.3), mas você tem precisão. Se alguma vez o ditado foi verdade (Atos 20.33), “Há maior felicidade em dar do que em tirar”, mais abençoados são aqueles que dão seus corações a Deus do que aqueles que tomam posse do mundo (Henry Smith).

“Meu filho, dá-me teu coração.” Por duas razões: Porque, (1) a não ser que o coração seja dado, nada é dado (Os 7.14; Mt 15.8-9); (2) se o coração for dado, tudo está dado (2Cr 30.13-20) (Hugh Stowell).

Nenhuma acomodação possível. Ora, a maioria das pessoas pensa que se elas guardam todos os melhores cômodos em seus corações varridos e adornados para Cristo, que elas podem conservar um pequeno cômodo na parede de seu coração para Belial em suas visitas ocasionais, ou uma banqueta de três pernas para ele no escritório comercial ou um canto na dispensa do coração, onde ele pode lamber os pratos. Não dá! Você precisa limpar, livrar a casa dele, como você faria com uma doença terrível, até a última mancha. Você precisa estar decidido de que tudo que você tem será de Deus, para que tudo que você é seja de Deus (John Ruskin).

“Minha culpa é condenável, é terrível”, exclamou um santo humilde, “em reter meu coração, porque eu conheço e creio no seu amor, e no que Cristo tem feito para ganhar meu consentimento–ao quê?–minha própria felicidade” (C. Bridges).

Dar-te meu coração? Senhor, eu o faria,

E há grande motivo pelo qual eu deveria,

Se valesse algo o Senhor o ter:

Contudo por certo o senhor estimará que é bom O quê, com o teu sangue, tens comprado E achado que valeu o teu querer.

Senhor, se mil corações eu tivesse,

E em cada um miríades De amores e temores mais seletos,

Seria muito pouco a dar, Senhor,

A quem eu tudo devo.

Contudo, o meu coração é tudo que possuo, não lhe fará falta.

Mas eu o ofereço–Toma-o Senhor, aqui está (Christopher Harvey, “Schola Cordis”).

Diz-se que durante a perseguição dos papistas pela rainha Elizabeth I, alguns católicos ricos desejavam salvar sua própria vida por acordo aberto com suas leis intolerantes, embora permanecessem romanistas no coração. A seu pedido de direcionamento relata- se que o papa daquele tempo respondeu: “Deixe que eles me dêem o coração, e assim por enquanto estarão obedecendo ao que são mandados fazer.” Quer a história seja verdadeira ou não, podemos estar certos de que se o mau espírito pode só guardar o coração, ele se importa pouco com que religião aparente é praticada.

Pr.Raul
Pr.Raul
Pastor do Ministério Nascido de Novo e coordenador do Seminário Teológico Nascido de Novo, Youtuber e marido da Irmã Vanessa Ângelo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *