O Estudo Da Bíblia Livro Por Livro

A Maior Biblioteca Do Mundo
13/09/2013
Palavra do Dia – 15/09 – Escolher Jesus.
15/09/2013

Já vimos que a leitura é a base do estudo bíblico. Depois dela vem a escrita, pois ambas são recursos de mnemônica, e oferecem uma valiosa fonte para referências e estudos posteriores; é por isso que enfatizamos tanto o uso de uma caderneta especial para anotações. A primeira parte deve conter o diário pessoal do crente. Depois, seguem-se os vários métodos de estudo bíblico, que apresentaremos neste capítulo.

A leitura devocional simples já mencionada e que é essencial para o crescimento espiritual diário é a forma mais fácil de estudo bíblico. Faço menção especial dela porque, em minha opinião, ela consiste no mínimo alimento espiritual necessário para fazer o crente crescer, mas não é suficiente para torná-lo um forte obreiro de Deus. “Procura apresentar-te a Deus, aprovado, como obreiro que não têm de que se envergonhar, que maneja bem a palavra da verdade” (2 Tm. 2.15).

As palavras-chave deste verso são aprovado e obreiro. É possível sermos crentes, sem despendermos qualquer esforço pessoal, pois a salvação é um dom gratuito de Deus. Mas quem deseja ser um “obreiro aprovado” para Deus, terá que estudar a Palavra de Deus. Isto não deve surpreender a ninguém, pois essa condição se aplica a todos os aspectos da vida atual. Para ser carpinteiro, bombeiro, pedreiro, eletricista, um homem precisa estudar e trabalhar como aprendiz durante algum tempo, antes de tornar-se um operário oficial na sua função, ou “obreiro aprovado”. Seja na profissão de construtor, ou em qualquer outra, o exercício competente de qualquer função requer estudo. Todos nós estamos cientes de que em geral as ocupações mais bem remuneradas na atualidade – advogados, médicos, arquitetos, psiquiatras exigem o maior volume de treinamento e experiência. Os ofícios de mais baixa remuneração são justamente os que exigem menos preparo do individuo.

Recentemente, tive a triste incumbência de informar a um homem de quarenta anos, pai de quatro filhos, que o tipo de serviço por ele prestado em nossa organização tornara-se desnecessário, e não havia vaga em outro setor da empresa que igualasse seu nível e fosse suficiente para sustentar sua família. Que triste situação! Ele já se encontrava na metade de sua vida, e completamente despreparado para qualquer outro tipo de trabalho.

Quando se retirava de meu gabinete, lembrei-me de que as igrejas estão cheias de pessoas iguais a ele, totalmente despreparadas para qualquer tipo de serviço cristão, e tudo simplesmente porque não conhecem bem a Palavra de Deus. Isto não somente refletirá no dia do julgamento, quando sua conta corrente celeste será examinada, mas também impede que recebam o máximo de bênçãos nesta vida, bênçãos estas que advêm de servirmos a Cristo da maneira por ele designada. E o mais triste de tudo é que isto é totalmente desnecessário; qualquer pessoa que tenha um verdadeiro desejo de servir a Deus nos dias de hoje pode fazê-lo – se estiver disposta a estudar a Palavra de Deus.

Três elementos são necessários para um bom e proveitoso estudo da Bíblia: esforço mental, disciplina e tempo. Quem reunir estes três pode se tornar um “obreiro aprovado”.

1. Esforço mental

Este livro auxiliará o leitor na parte do esforço mental, apresentando-lhe sugestões valiosas sobre o que deve fazer, e vários gráficos para ativar seu processo mental. Isto evitará que fique se debatendo em confusões, e fará com que tire o máximo proveito do tempo que têm disponível para o estudo bíblico.

2. Disciplina

Somente nós próprios podemos aplicar a autodisciplina em nossa vida. Por experiência própria, já descobri que a disciplina é o fator essencial do sucesso em qualquer campo de atividade. É por isso que alguns jovens que se formam em escolas bíblicas fracassam na vida. Nunca aprenderam a disciplinar-se enquanto eram estudantes. Estudaram apenas para fazer provas e conseguirem graduar-se, mas nunca se dedicaram ao estudo constante da Bíblia; Conseqüentemente, aprenderam, ou muito pouco ou nada da Bíblia, depois de se formarem. Sugiro que cada interessado estabeleça um volume de estudo mínimo, como fez para a leitura, de outro modo tudo não passar§ de boa intenção.

3. Tempo

O período mínimo de tempo para estudo deve ser de quinze minutos diários, além dos quinze minutos de leitura! Se for mais conveniente, pode-se observar três períodos de trinta minutos por semana, ou então, simplesmente, prolongar por mais quinze minutos os quinze de leitura. O único problema nesse último caso é que alguém pode ser tentado a prosseguir na leitura após os quinze minutos iniciais, e omitir o estudo. Por este motivo, é melhor fazermos a leitura e o estudo da Bíblia em horas separadas.

Muitos homens e senhoras que trabalham fora, preferem observar o momento devocional pela manhã, antes de saírem para o trabalho, e reservar o estudo bíblico para a noite. As mães e donas de casa às vezes preferem esperar até que o marido e filhos tenham saído para o trabalho ou para a escola, para fazerem a leitura e o estudo em um único período de trinta minutos. Outras gostam de fazer o estudo à tarde, enquanto as crianças descansam. O momento em que realizamos o estudo não é muito importante. O que realmente importa é que o façamos.

Uma das melhores ilustrações que possuo deste caso é a de um soldador, de 34 anos, que não tinha o curso secundário completo, e que eu tive o prazer de levar a Cristo. Vim a saber depois que a mãe dele, uma mulher temente a Deus, orara pela sua conversão durante vinte e sete anos. Quando estava com um mês de convertido, ainda um bebê em Cristo, ele foi visitá-la, e assistiu ao culto na pequenina igreja que ela freqüentava. Aconteceu que a irmã dele era superintendente da Escola Dominical e pediu-lhe que desse seu testemunho, o que ele fez, não sem certa relutância. Levou apenas um minuto e trinta segundos. Depois disso, nunca vi um homem com mais fome de estudar a Palavra de Deus do que ele. Foi mais por causa dele, que organizei o sistema de estudos que apresento neste capítulo. Ele o seguiu fielmente. Nove meses depois, visitou seus familiares novamente, e sua irmã pediu-lhe que dirigisse o estudo bíblico na classe de escola dominical, e ele aceitou de bom grado. Toda a congregação ficou admirada de ver aquele “bebê em Cristo”, de dez meses de idade, entregar uma mensagem bem elaborada, de quarenta minutos. Após a reunião, o jovem pastor da igreja perguntou-lhe: “Que milagre você fez para aprender a Bíblia tão depressa? Nunca vi ninguém desenvolver tanto assim!”

Tive o prazer de ver aquele homem crescer e se tornar um excelente professor de estudos bíblicos e ótimo ganhador de almas, que já ocupou quase todos os cargos de sua igreja. O segredo foi o esforço mental, mais autodisciplina, mais tempo empregado em estudo da Palavra de Deus. Em seu caso, isto significou um rápido crescimento espiritual, e a capacidade de ser usado como “obreiro aprovado” por Deus. Estou certo de que significará o mesmo para o leitor, se resolver seguir o sistema.

AS PRIORIDADES NO ESTUDO BÍBLICO

O simples fato de falarmos em estudo bíblico pode assustar algumas pessoas, pois não saberão o que fazer. Vamos considerar aqui sete dos melhores métodos, e eu gostaria de apresentá-los em ordem de importância. Sugerimos que o leitor siga a ordem aqui apresentada, começando com o número dois.

1. Estudar a Bíblia como um todo

Já vimos que a Bíblia é uma biblioteca de sessenta e seis livros, cada um deles escrito com uma finalidade especifica, mas todos com uma mensagem geral de Deus para o homem. É muito importante que tenhamos uma visão geral do todo da Palavra de Deus, para que os outros métodos aqui apresentados possam ser examinados à luz do todo. O leitor verá que esta visão geral resultará naturalmente deste programa trienal de leitura, que esboçamos no capítulo anterior.

2. Estudar a Bíblia livro por livro

O melhor estudo bíblico é o que é feito do modo que a Bíblia foi escrita, cada livro separadamente. Como já vimos, cada volume foi escrito para uma certa igreja, grupo de pessoas, ou para indivíduos. A maioria deles foi escrita em forma de carta, e, provavelmente, seu autor não tinha a mínima idéia de que ele iria tornar-se uma mensagem eterna, que seria estudada por milhões de pessoas. Mas, naturalmente, Deus sabia disso, e estava ciente também de que os problemas básicos, preceitos e lições ali contidos seriam úteis para a humanidade tanto no momento em que foram escritos, como daí a dois milênios.

ESCOLHER O LIVRO CERTO PARA ESTUDAR

É muito importante escolher o livro adequado para estudarmos, principalmente nos primeiros dias do programa, pois se fizermos uma escolha inadequada, poderemos perder o ânimo. As sugestões que apresentamos a seguir podem servir de orientação para se fazer a escolha certa.

1. Escolher um livro pequeno, de quatro a seis capítulos. Obviamente é muito mais difícil conseguir-se uma visão geral dos vinte e oito capítulos de Atos ou Mateus, que dos quatro capítulos de Filipenses ou Colossenses.

2. Escolher um livro fácil. Devemos reconhecer que alguns livros da Bíblia são mais fáceis de entender do que outros. Apocalipse, 1 Pedro, Hebreus e Romanos, por exemplo, são muito mais complexos que 1 João, 1 Tessalonicenses ou o Evangelho de João, e, portanto, não é muito aconselhável começar por eles. Muitas das perguntas que fatalmente surgirão na leitura desses livros mais difíceis, serão respondidas naturalmente, depois que lermos um dos mais fáceis.

3. Escolher um livro que seja bem prático para os dias atuais, um livro do qual possamos nos beneficiar espiritualmente, enquanto o estudamos. É certo que toda escritora é proveitosa, mas alguns trechos são mais proveitosos que outros, principalmente levando-se em conta nosso estágio de desenvolvimento na vida cristã. Os livros sugeridos para leitura seriam uma boa ordem para se seguir (ver as páginas 43 e 44).

REPETIR AS LEITURAS

Depois de escolher o livro, o importante, a seguir, é procurar conhecer bem o seu conteúdo. Para quem gosta de ler, isto não será muito difícil. Tudo que se têm a fazer é lê-lo umas dez ou doze vezes, em uma assentada. Naturalmente isto tomará algum tempo, mais do que sugerimos no início. Mas ficaremos admirados de ver o proveito que tiraremos disso, e quanta este estudo significará para nós, se dedicarmos a ele umas três ou quatro horas. Outra prática muito proveitosa é começar o estudo de um livro logo depois de termos terminado a leitura dele, duas ou três vezes durante o momento devocional, coma já sugerimos anteriormente. Somente depois de várias leituras é que começaremos a ver as várias partes do livro se delinearem em nossa mente, e enxergar as várias linhas de pensamento que o cortam do princípio ao fim.

PERGUNTAS BÁSICAS

Depois de ler o livro pelo menos uma dúzia de vezes, estamos prontos para começar a responder algumas perguntas básicas, que ampliarão nosso conhecimento do conteúdo do livro. Foi para este propósito que preparamos a seguinte lista de perguntas:

I. Qual o autor do livro?

2. Quais as circunstâncias em que ele o escreveu?

3. Para quem a obra foi escrita?

4. Dizer alguma coisa a respeito das pessoas a quem foi dirigido.

5. Onde foi escrito?

6. Quando foi escrito?

7. Por que foi escrito?

8. Quais são os principais problemas abordados?

9. Que soluções são apresentadas?

10. Qual era o significado central de tais coisas naqueles dias?

11. Qual é o significado delas para nós hoje?

12. Comentários adicionais

No estudo desta série: “Como Ler a Bíblia” damos uma amostra de um questionário para estudos que caberá num caderno de tamanho médio. No último capítulo apresentamos várias outras páginas para seu uso. Este questionário é muito prático para esta fase do estudo bíblico. Depois de completo, será uma boa fonte de consulta para revisão do estudo, no futuro.

ESBOÇO DO LIVRO

Depois de responder as perguntas acima, estamos prontos para fazer o esboço do livro. Para isto, é preciso que o tenhamos lido todo, várias vezes, para conhecer claramente o seu tema central ou objetivo do autor. A seguir sintetizamos o pensamento central em uma sentença, e a escrevemos na linha designada, no questionário do estudo bíblico. Depois, procuramos um ou dois versículos que possam ser considerados os versos-chave do livro, e os copiamos na linha designada para isso.

Ao fazer o esboço, será interessante preparar primeiro um rascunho, pois podemos desejar modificar alguma coisa. Procurar os temas principais que deverão ser de três a cinco pontos nos livros menores. Não nos deixemos orientar pelas divisões de capítulos que há na Bíblia. Elas não foram feitas pelos autores originais. Na verdade, só foram aplicadas no século XIV da era cristã, e foram feitas um pouco apressadamente. Portanto, algumas dessas divisões deixam muito a desejar. Ao examiná-las mais detidamente, veremos que há casos em que dois ou três capítulos de um livro discorrem sobre um mesmo assunto, como por exemplo os capítulos 12, 13 e 14 de 1 Coríntios que falam sobre os dons espirituais.

Depois de encontrar as divisões principais do esboço, nós as escrevemos na folha, deixando espaço para os subpontos, que acrescentaremos mais tarde. É bom apresentar um versículo apropriado para cada ponto e subponto.

Sempre que possível, devemos tentar harmonizar o estudo da Bíblia livro por livro com o programa de leitura mencionado anteriormente – ler um livro todo, todos os dias, durante trinta dias. Assim, não somente nós o teremos lido trinta vezes, devocionalmente, mas também o teremos estudado até obtermos um conhecimento prático, de modo que, no futuro, com apenas revisões ocasionais de nossas notas, poderemos guardar a maioria de seus ensinamentos principais para toda a vida.

 Estudo de Livros

Nome do livro ……………………………………………………………………………..

Quantas vezes foi lido?………………. Data ………………………………………..

1. Nome do autor…………………………………………………………………………

2. Quais as circunstâncias em quo o autor escreveu este livro? …………

…………………………………………………………………………………………………..

3. Para quem a obra foi escrita?…………………………………………………….

4. Dizer alguma coisa a respeito das pessoas a quem foi dirigido………

…………………………………………………………………………………………………..

5. Onde foi escrito? …………………………………………………………………….

6. Quando foi escrito? …………………………………………………………………

7. Por que foi escrito?…………………………………………………………………..

8. Quais são os principais problemas abordados? ……………………………

…………………………………………………………………………………………………..

9. Que soluções são apresentadas? ………………………………………………..

…………………………………………………………………………………………………..

10. Qual era o significado central de tais coisas naqueles dias? …………

…………………………………………………………………………………………………..

11. Qual o significado delas para nós hoje?……………………………………..

12. Comentários adicionais …………………………………………………………..

…………………………………………………………………………………………………..

…………………………………………………………………………………………………..

Estudo de Livros

Nome do livro…………………………………….Data ………………………………..

Tema principal …………………………………………………………………………….

Versículo-chave……………………………………………………………………………

Esboço ……………………………………………………………………………………….

…………………………………………………………………………………………………..

…………………………………………………………………………………………………..

 

Pr.Raul
Pr.Raul
Pastor do Ministério Nascido de Novo e coordenador do Seminário Teológico Nascido de Novo, Youtuber e marido da Irmã Vanessa Ângelo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *