Métodos De Leitura Bíblica

Como Ler A Bíblia
10/09/2013
O Que Ler Na Bíblia
12/09/2013

Existem quatro métodos recomendados para a leitura da Bíblia.

1. Ler livro por livro

Os livros da Bíblia foram escritos ou para indivíduos ou para grupos de pessoas, e por esta razão devem ser lidos em sua inteireza. Deste modo, conservamos em mira a mensagem total do livro, e temos menos possibilidade de cometer o erro de retirar um versículo de seu contexto.

Muitas pessoas usam o método de “dar bicadas”. Abrem a Bíblia ao acaso e lêem o que está diante dos olhos, esperando uma mensagem para aquele dia. Isto é melhor que nada, mas não é um método muito aconselhável, e, às vezes, pode ser até perigoso. Conta-se que certo homem, usando este sistema, abriu em Mateus 27:5: “e Judas… foi enforcar-se.” Em seguida, abriu em outro ponto que dizia: “Vai e faze o mesmo”; depois deu uma terceira “bicada” que lhe apresentou o seguinte conselho: “O que pretendes fazer, faze-o depressa.” Tais revelações poderiam ter sido interpretadas pelo indivíduo como falta de amor da parte de Deus, em não dar-lhe uma mensagem melhor para aquele dia. Na realidade, o que houve não foi culpa de Deus, mas de seu desastroso método de escolher a leitura bíblica. Isto não acontece quando lemos livros inteiros.

Seria aconselhável também estudar bem o tema e o objetivo central de cada livro, antes de se iniciar a leitura, o que geralmente encontramos na própria Bíblia ou em livros especializados. Mais adiante, daremos outros detalhes sobre isso.

2. Ler várias vezes

Um dos melhores meios de se chegar a conhecer bem um livro é tê-lo todo, diariamente, durante trinta dias; isto, naturalmente, aplica-se somente aos livros que contêm de quatro a seis capítulos. A maioria das epístolas podem ser lidas assim com grande proveito. No fim dos trinta dias, conheceremos aquele livro muito bem. Mas este método só deverá ser aplicado depois que tivermos lido o Novo Testamento todo, pelo menos uma vez.

3. Ler de acordo com a necessidade

Nossas carências espirituais muitas vezes irão determinar que passagens deveremos ler, e, principalmente, o número de vezes que as leremos. Se uma pessoa não tem certeza de sua salvação, sempre recomendo que leia 1 João, todos os dias, durante trinta dias. Até agora, ainda não encontrei ninguém que continuasse sendo importunado pela insegurança de seu destino eterno, depois de ler a epístola de 1 João durante trinta dias. Isto se dá, principalmente, se depois do décimo dia o leitor começa a fazer a lista das vinte e sete coisas que Deus quer que saibamos, e que se encontram naquela epístola. O livro todo pode ser lido em aproximadamente quinze minutos. No capítulo seguinte daremos mais detalhes a este respeito.

4. Ler toda a Bíblia

Todos os crentes deveriam ler a Bíblia toda, do começo ao fim, começando pelo Novo Testamento. No próximo capítulo, discutiremos isto com mais detalhes, e ofereceremos uma sugestão para um programa de leitura com duração de três anos.

A CONSTÂNCIA NA LEITURA BÍBLICA DLÁRIA

“Perseverança, tu és uma Jóia preciosa”, é um dito de um amigo meu que quase destruíra sua vida por causa de sua inconstância. Mas reconhecer o problema nem sempre é solucioná-lo. Sem dúvida, muitos crentes têm fracassado na vida espiritual ou deixado de alcançar desenvolvimento nessa área, mais por causa de sua falta de constância na observância do momento devocional, do que por qualquer outro problema. Como já vimos, é absolutamente essencial que nos alimentemos da Palavra de Deus com regularidade, a fim de nos mantermos revigorados e cheios do Espírito Santo, mas infelizmente somente uma pequena porcentagem do povo de Deus já descobriu esse segredo.

A autodisciplina não parece ser o apanágio dessa época de prosperidade em que vivemos. Mas já observei que ela é a chave do segredo para se obter o sucesso. Quer se trate de um Mickey Mantle, que, quando jovem, treinava de três a cinco horas por dia, com seu pai arremessando de mão direita e o avô, de esquerda, e acabou-se tornando o major batedor rápido de beisebol de todos os tempos; ou de um Paul Anderson, que com horas e horas de halterofilismo diariamente tornou-se o homem mais forte do mundo; ou de Terry Bradshaw, o grande jogador de futebol americano; ou de Billy Jean King, que ganhou dezenove campeonatos de tênis em Wimbledom, Inglaterra – o segredo do sucesso chama-se disciplina. Devemos reconhecer que tais pessoas tinham talento, mas também o possuem milhares de outras pessoas neste mundo, só que essas acrescentaram ao talento a disciplina do treino e se tornaram superastros do esporte.

A única diferença entre a analogia que apresento acima e o sucesso na vida cristã, é que todo crente pode obter sucesso espiritual se ele se disciplinar e se dedicar à observação do momento devocional diário que apresentamos aqui, e à aplicação dos princípios divinos em sua vida. Talvez muitos de nós não possam tornar-se superatletas porque não é esse o setor em que nos sobressaímos, mas todos podemos nos tornar cristãos eficientes e produtivos.

Peço perdão pela ilustração pessoal, mas gostaria de explicar o que quero dizer. Estando agora com quase 2 milhões de exemplares impressos de meus sete livros publicados, muitas pessoas me perguntam por que esperei até estar quase com quarenta anos para escrever minha primeira obra. A resposta é um pouco humilhante, mas verdadeira. Precisei levar este tempo todo para aprender a autodisciplina e chegar a escrever. Eu costumava dizer: “Estou por demais ocupado para escrever; e, além disso, quem irá ler o que escrevo?” Mas o problema verdadeiro não era esse; eu teria que compreender que escrever era tão importante para mim, que merecia que me dedicasse a isso pelo menos um dia por semana. Agora não tenho mais problemas para escrever. Enquanto um indivíduo não chega à conclusão de que seu crescimento espiritual vale que ele passe pelo menos quinze minutos por dia com a Palavra de Deus, ele continuará sendo um cristão medíocre. Lembremo-nos disso: temos o potencial que recebemos de Deus como um dom; mas o que faremos com ele fica por nossa conta.

Durante sua vida aqui na terra, o Senhor encontrou vários tipos de pessoas que mostraram algum interesse por ele. A Bíblia diz que “muitos creram nele”, mas não se sabe muita coisa a respeito destes. Outros o “seguiram”, mas quando surgiram as perseguições e as adversidades, voltaram para suas casas. Outros ainda vieram a dizer-lhe: “Queremos ser teus discípulos”, ao que ele respondeu: “Se alguém quer vir após mim, a si mesmo se negue, dia a dia tome a sua cruz e siga-me” (Lc. 9.23). Como se sabe, ele contou apenas com doze discípulos e mais cento e vinte que lhe eram dedicados. Não é interessante notar que as palavras “discípulo” e “disciplina” sejam tão semelhantes? Não podemos aplicar a primeira sem a segunda.

O Dr. DeHaan, o criador do programa de rádio americano, “Radio Bible class”, já falecido, disse cena vez: “Ir a Cristo, não nos custa nada; seguir a Cristo, nos custará alguma coisa; mas servir a Cristo, nos custar§ tudo.” Não desejo enganar ninguém; existe um preço a pagar para se obter o crescimento e a maturidade espiritual. É o tempo que precisamos despender para aprender os princípios divinos na Palavra de Deus, e o ajustamento de nossa vida a estes princípios. Entretanto, as compensações e os resultados que obteremos valerão bem a pena o esforço que exigem.

UMA FÓRMULA CERTA PARA SE APRENDER A AUTODISCIPLINA

Baseado em minha experiência adquirida nos muitos anos que tenho passado ajudando crentes, principalmente homens, que desejavam adquirir a autodisciplina na vida devocional, posso garantir que a fórmula de três pontos que dou aqui realmente dá certo. Não há meio de se fracassar, se estes três passos forem observados.

1. Ler quando tem vontade e quando não tem também

Seria tolice de minha parte afirmar que todas as manhãs quando acordamos quinze minutos mais cedo, nosso cérebro estará cem por cento “ligado”, e estaremos ansiosos para “mergulhar” na Palavra de Deus. É verdade que haverá dias assim; mas haverá dias em que despertaremos com a sensação de que o arrebatamento ocorreu e fomos deixados para trás, principalmente se somos do tipo de pessoa que trabalha até tarde da noite. Mas não cedamos à pressão de nossa mente preguiçosa que nos sugere: “Se não temos vontade de ler agora, provavelmente não tiraremos muito proveito da leitura”, ou então: “Será melhor esperar um momento em que tenha verdadeira fome pela Bíblia”, ou ainda: “É preciso estar com a disposição certa para se receber uma bênção.” Todas estas argumentações são mentiras do diabo ou de nossa mente enganosa.

Se acordarmos ainda sonolentos ou meio cansados, devemos tomar um banho e nos aprontarmos antes de nos dedicarmos ao momento devocional. Mas é essencial que observemos aqueles quinze minutos mínimos diários, quer queiramos, quer não. Alguns dos melhores momentos que já gozei foram exatamente em dias em que tive de orar: “Pai, estou-me sentido fraco hoje, e, sinceramente, nem ao menos desejo ler a tua Palavra. Perdoa esta minha atitude carnal, e abre minha mente para que eu veja as maravilhosas lições de tua Palavra. Amém.”

Anos atrás, ouvi um pregador dizer: “Leia a Palavra de Deus quando tiver vontade; e, quando não tiver vontade, leia até ter.” Se insistirmos na leitura, veremos que a “disposição” irá se modificando gradualmente, e receberemos uma bênção especial.

2. Fazer um voto sagrado diante de Deus

Geralmente, não costumo levar os crentes a fazer votos a Deus, pois as Escrituras dizem: “Melhor é que não votes do que votes e não cumpras” (Ec. 5:5). Mas, como é muito importante manter esta leitura diária da Palavra, faço esta única exceção, pois este expediente já terá provado que consegue produzir a constância que, creio, a maioria dos crentes deseja possuir.

Quando eu era jovem, recém-ordenado, conheci um missionário cuja vida e persistência eu admirava grandemente. Quando lhe indagaram sobre o segredo de seu sucesso, ele respondeu: “Nunca passo um dia sem observar meu momento devocional de oração e estudo da Bíblia, em comunhão com Deus.” Quando perguntei: “Como foi que o senhor aprendeu a ser tão persistente?” ele respondeu: “Muito simples. Fiz um voto sagrado para com Deus – sem Bíblia, não há café.” A seguir, explicou que houve dias em que um dos filhos estava doente, ou aconteceram imprevistos que não lhe permitiam passar momentos a sós com a Palavra de Deus. Mas quando isso se dava, ele dizia: “Não vou tomar café. Se estou com pressa e sem tempo para alimentar a alma, também não tenho tempo para alimentar o corpo.” E durante todos estes anos, só deixei de tomar café, por não ter podido ler a Bíblia, muito poucas vezes.” Já falei a respeito deste voto a centenas de pessoas; e muitas delas o fizeram e o cumpriram durante anos e anos.

Há pouco tempo, mencionei esta história durante um estudo bíblico em nossa casa. Os ouvintes eram profissionais do futebol americano, jogadores de “San Diego Chargers”. Duas semanas mais tarde, um dos melhores jogadores do time contou-me que fizera aquele voto no encerramento de nossa reunião e descobriu que estava sendo de grande ajuda para trazer disciplina à sua vida espiritual. Eis aqui um jovem de grande talento, que já aprendera a disciplinar seu corpo, mas necessitava de um pequeno ponto de apoio como este, para obter disciplina na vida devocional.

É muito simples. O voto é o seguinte: sem Bíblia, não há café. E aqueles que precisam de um verso bíblico para apoiar tudo que fazem, vejam Jó 23:12: “Do preceito de seus lábios nunca me apartei, e as palavras da tua boca prezei mais do que o meu alimento.” Evidentemente, Jó tinha feito um voto com Deus, que era muito semelhante a este: sem Bíblia, não há café.

3. Não abrir exceções

A última parte dessa fórmula é bem simples: não abrir precedentes. Se desistirmos do voto, uma vez só que seja, será mais fácil ceder outras vezes. A recusa em abrir exceções é um requisito fundamental para se ter constância, qualquer que seja a situação. Os Alcoólatras Anônimos já definiram bem isto para todos que quiserem ver, e dizem que o único caminho para se vencer a garrafa é não abrir exceções. “O primeiro drinque foi a minha derrota”, é o comentário normal dos membros dos A. A. que voltaram à sarjeta.

As pessoas que fazem dieta ou as que fazem exercícios físicos, ou que têm que exercer qualquer tipo de autodisciplina, em sua vida, conhecem este regulamento básico. Lembro-me de que durante três anos passei sem tocar em doces, e durante este tempo perdi mais de 18 quilos. Aí pensei que já poderia controlar meu apetite para o doce, e comi uma bala – depois outra e mais outra; e ganhei mais de seis quilos de peso, antes de voltar a fazer o voto. E mesmo agora, se faço uma dieta, não posso abrir exceções – e ninguém pode.

E aqui eu gostaria de fazer um desafio ao leitor: experimente aplicar esta fórmula durante um ano; faça um voto – sem Bíblia, não há café; não se permita abrir exceções e se tornará num crente mais constante e melhor nos 365 dias do ano. Cumprir este voto, transformará toda a sua vida.

Pr.Raul
Pr.Raul
Pastor do Ministério Nascido de Novo e coordenador do Seminário Teológico Nascido de Novo, Youtuber e marido da Irmã Vanessa Ângelo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *