Jovens Segundo o Coração de Deus – Alcance os Outros

Daniel – Amado no Céu – íntegro no meio da corrupção
13/01/2015
Daniel – Amado no Céu – Os reinos do mundo e o reino de Cristo
14/01/2015

Jovens Segundo o Coração de Deus – Alcance os Outros

Estai sempre preparados para responder com mansidão e temor a qualquer que vos pedir a razão da esperança que há em vós.

— 1 Pedro 3.15
Pelo fato de ser um jovem cristão, você já chegou a achar que você pertence a uma minoria? Que está cercado por gigantes? Que é f pequeno e insignificante? Que recebe muito pouco apóio cristão em sua escola, se é que o recebe, porque seus professores e colegas têm crenças diferentes e opostas? Que você está despreparado? E que parece impossível vencer a batalha?

Bem, se alguma vez teve sentimentos como esses, você não está só. Dez outros guerreiros das “divisões especiais” tiveram sentimentos similares, há mais de três mil anos atrás. Você pode ler a respeito de suas inseguranças no Livro de Números capítulo 13, mas por enquanto, deixe-me dar uma versão resumida para você.
O Complexo de Gafanhoto
Deus tirou seu povo do Egito com sinais, sonhos e milagres — as dez pragas, a travessia do mar Vermelho, o suprimento de alimento e água no deserto. O povo de Israel testemunhou o grande poder de Deus.

E agora eles estão prontos para ir até a Terra Prometida. Mas Moisés, como uma última preparação, enviou seus doze melhores homens — os melhores dentre os melhores — para inspecionar as terras. A “Operação Terra Prometida” levou quarenta dias. E no final desse período, os homens voltaram para apresentar seus relatos.

Dez desses homens poderosos relataram que a terra era um lugar lindo, repleto de muitas coisas boas… havia somente um problema: a terra também estava repleta de gigantes que viviam em cidades fortificadas! As pessoas eram tão GRANDES que eles se sentiram como gafanhotos comparados aos mesmos. Os dez guerreiros concluíram que seria um terrível erro tentar conquistar a terra. Os gigantes eram simplesmente muito grandes! E muito fortes.

Bem, não lhe disse que você não estava sozinho em seus sentimentos a respeito de superestimar as dificuldades que enfrenta em sua escola e em sua vizinhança? Esses dez homens, conforme já disse, eram os melhores dentre os melhores… e eles também ficaram temerosos com o que havia lá fora.

Mas será que esse é o final da história? Não! Você lembra o que eu disse a respeito de Moisés e que ele enviara doze homens. Vejamos o que os outros dois homens, Josué e Calebe, disseram quando fizeram seus relatos:

Se o Senhor se agradar de nós, então, nos porá nesta terra e no-la dará, terra que mana leite e mel. Tão-somente não sejais rebeldes contra o Senhor e não temais o povo desta terra, porquanto são eles nosso pão; retirou-se deles o seu amparo, e o Senhor é conosco; não os temais (Nm 14.8,9).

“Não os temais”, esse foi o grito de Josué e de Calebe! Por quê? Porque, conforme declararam: “Eo Senhor é conosco”. Eles se ergueram face às pressões tanto de seu próprio povo como dos gigantes daquela terra.

Deus pede a você e a mim para sermos testemunhas dEle em nosso mundo. Não podemos desenvolver o “complexo de gafanhoto”. Em lugar disso, devemos nos levantar bem alto junto com esses dois bravos homens, Josué e Calebe, para deixar Deus lutar nossas batalhas e vencer nossas vitórias.

Tudo bem, mas como? (Desenvolvendo um Plano de Batalha)

Os rapazes, muitas vezes, dizem-me que não sabem como partilhar sua fé, ou que eles acham que não conhecem suficientemente a Bíblia, ou teologia, para dividir com outras pessoas sua fé em Cristo. Por esse motivo, eles se retraem nas muitas oportunidades que surgem deixando de alcançar outras pessoas com as Boas Novas de Jesus Cristo. Você não se sente assim também? Você não está sozinho.

E bem verdade que habilidades e conhecimentos são importantes, e que você deveria aprender mais sobre a verdade de Deus a fim de estar preparado para compartilhar sua fé cristã. Mas não é necessário que você seja um teólogo, para que assim compartilhe o aspecto mais relevante de sua vida com aqueles que estão desejosos e ansiosos por ouvir.

Compartilhe Seu Testemunho

O Exemplo

Eu não sei há quanto tempo você entregou sua vida a Cristo, mas, provavelmente, já ouviu seu pastor ou os líderes dos jovens falarem a respeito de “compartilhar seu testemunho”. Basicamente, seu testemunho é a sua história sobre como você se tornou cristão. Para mostrar como é simples compartilhar seu testemunho, quero contar-lhe a história de um homem possuído pelos demônios, em Marcos 5.1-20.

Eis a versão resumida da história: um homem estava atormentado por uma legião de demônios. Jesus, em sua compaixão por esse pobre homem, expulsou os demônios e enviou-os para uma manada de porcos que, em conseqüência disso, correram para um precipício em direção a um lago e afogaram-se.

Você, certamente, consegue imaginar o quanto esse homem ficou maravilhado por livrar-se dos demônios. Assim, imediatamente, ele pediu a Jesus se poderia segui-lo. Talvez, você imagine que Jesus diria: “Claro, venha comigo e aprenda um pouco de teologia. Sente-se aos meus pés e deixe-me ensiná-lo durante uns poucos anos até que você esteja preparado para partilhar seu testemunho com os outros”.

Não, Jesus simplesmente disse ao homem: “Vai para tua casa, para os teus, e anuncia-lhes quão grandes coisas o Senhor te fez e como teve misericórdia de ti” (Mc 5.19). Basicamente, Jesus disse ao homem para ir para casa e compartilhar seu testemunho. Veja bem,

esse homem, embora fosse um novo convertido, já tinha tudo o que precisava para testemunhar sua experiência com Jesus.

E o que aconteceu? Quais foram os resultados da obediência desse homem a Jesus? A Bíblia nos diz: “E ele foi e começou a anunciar em Decápolis [região onde ele morava] quão grandes coisas Jesus lhe fizera; e todos se maravilhavam” (v. 20).

Os Resultados

Qual foi o impacto que a vida transformada desse homem causou? Acredito que veremos isso mais tarde, em Marcos 7.31 — 8.9. Aqui, apenas sabemos que Jesus caminhava através de uma região fora de Israel, povoada por gentios. Jesus não estivera nessa região anteriormente e, tampouco, Ele era conhecido por lá. Mas estranhamente, quando Jesus chegou a esse lugar remoto, Ele foi recebido por uma multidão de cerca de quatro mil homens (para não mencionar muitas mulheres e crianças) dispostos a ouvir sua mensagem!

De onde veio todo esse povo? Pessoalmente, acredito que o homem descrito em Marcos 5 tenha feito exatamente o que Jesus lhe dissera para fazer. Acredito que ele, em obediência, contou a esse povo o quanto Jesus fizera por ele. Creio que ele simplesmente compartilhou seu testemunho, e esse povo se dirigiu para um lugar distante para ver Jesus e para ouvir a mensagem do Mestre para eles.

Os Detalhes

Meu jovem amigo, seu testemunho pessoal de Jesus e do que Ele fez e faz em sua vida é o maior e mais poderoso recurso que você tem para conquistar os outros para Deus. Por quê? Porque se trata de sua experiência com Jesus Cristo! Isso é pessoal. Portanto, ninguém pode questionar a respeito disso. E você jamais poderá apresentar detalhes equivocados. Igualmente, como isso aconteceu com você, o relato de sua experiência pessoal com Jesus torna-se mais relevante para as pessoas que o ouvem.

Seu testemunho pessoal pode ser dividido em três partes:

Parte um — Minha vida antes de aceitar Jesus Cristo

Parte dois — Como eu tive um encontro com Jesus Cristo

Parte três — Como ficou minha vida desde que encontrei Jesus Cristo

Bem, reserve agora um momento para refletir sobre seu passado. Quais foram as circunstâncias que o levaram à aceitação de Cristo como seu Senhor e Salvador? Que modificações ou diferenças você — e possivelmente outras pessoas — perceberam em sua vida desde que se tornou um cristão? Ao utilizar esse desdobramento de seu testemunho em três partes, tente registrar brevemente o que aconteceu com você. (Para ajudá-lo a fazer isso, incluí uma folha de trabalho ou um roteiro para você ao final deste capítulo.)

Depois de escrever suas notas, você está pronto para atender à exortação de Pedro em 1 Pedro 3.5: “E estai sempre preparados para responder com mansidão e temor a qualquer que vos pedir a razão da esperança que há em vós”. Faça uma oração de agradecimento a Deus por seu relacionamento com Ele por intermédio de seu Filho. E peça a Ele para lhe dar uma oportunidade de compartilhar os motivos de sua esperança — seu testemunho pessoal — com alguma pessoa esta semana.

Construir Pontes

Certa vez, ouvi uma história a respeito de um oficial de alta patente de um governo estrangeiro que matriculou seu filho incrédulo em uma escola cristã dos Estados Unidos. Houve uma grande agitação entre os estudantes a respeito de quem deveria aproveitar a oportunidade de partilhar a mensagem de Jesus com esse novo jovem e, possivelmente, levá-lo a aceitar a Cristo. Deveria ser o representante da classe? O atleta de destaque? O capelão do campus?

Bem, o estudante estrangeiro aceitou a Cristo. Mas todos ficaram surpresos com a pessoa que Deus utilizou como seu mensageiro. O Senhor escolheu Tom, um rapaz bastante comum. Você jamais escolhería Tom naquela turma como alguém que tivesse habilidades raras ou habilidade para dar testemunho. Mais tarde, alguém perguntou a ele o que acontecera, e ele simplesmente disse: “Eu simplesmente construí uma ponte entre meu coração e o dele, e depois Jesus caminhou ao longo dessa ponte”.

Desenvolver amizades. Construir pontes. Epa! Isso é o que se chama desenvolver um coração para conquistar os outros! Você e eu não precisamos ser pastores… ou especialistas em Bíblia… para darmos testemunhos. Realmente isso não é preciso. Apenas precisamos conquistar o direito de sermos ouvidos por aqueles ao nosso redor… como o fez Tom.

Quais são alguns dos meios pelos quais você pode construir pontes que ajudarão a transportar a mensagem de Cristo de seu coração para o coração dos outros? Aqui estão algumas sugestões para iniciar, ou para ajudá-lo a continuar construindo pontes. (Podemos também chamar isso de “Fundamentos da construção de pontes”!)

Viva seu testemunho cristão — A medida que você, de forma consistente, tenta viver para Jesus Cristo, seus colegas de escola e vizinhos verão o Senhor trabalhar em você por intermédio de…

• sua atitude positiva

• seu comprometimento com a pureza

• sua fala

• seus hábitos de trabalho

• seu envolvimento com a igreja

• sua cordialidade

Ore pelos não-crentes — A salvação é o trabalho de Deus; testemunhá-la é seu trabalho. E o mesmo acontece com a oração. Você e eu devemos construir pontes… e, ao mesmo tempo, devemos orar para que Deus caminhe através dessas pontes em direção aos corações e as vidas dos outros. Portanto:

1. Ore para pessoas específicas… membros de sua família que ainda estão em casa, seus parentes, seus colegas de escola e seus amigos.

2. Ore para que as “portas se abram”… para compartilhar seu testemunho da forma como Paulo o fez (Cl 4.3).

3. Ore pela sabedoria… a respeito daquilo que você comunica (Cl 4.5,6).

4. Peça a Deus para sobrepujar… seus temores e lhe dar grande força (Ef 6.19).

5. Ore fervorosamente… para que outros conheçam a Cristo.

À medida que você for olhando essa lista de “orações” novamente, pense a respeito de George Mueller. Ele viveu há mais de cem anos atrás na Inglaterra e dirigiu um orfanato para centenas de crianças.

O Sr. Mueller começou a orar pela salvação de cinco amigos pessoais. Após cinco anos, um desses amigos veio para Cristo. Após dez anos, dois outros se salvaram. E, por vinte e cinco anos, ele continuou orando pelos outros dois, e o quarto converteu-se. Até sua morte, ele não cessou de orar a Deus para a salvação do quinto homem. Poucos meses depois da morte de George Mueller, o quinto amigo foi salvo!

Qual a moral da história? Nunca desista dos outros! Nunca deixe de orar por sua salvação.

Observe os interesses e passatempos hobby dos outros — Uma das melhores maneiras de construir pontes é aprender a respeito dos interesses daqueles com os quais você faz amizade. Você está preparado para envolver-se em um novo passatempo a fim de construir uma ponte para se conectar com uma outra pessoa? Para tentar uma nova atividade? (Tênis, ou qualquer outra?)

Relacione a Bíblia com acontecimentos do momento – Nunca houve melhor oportunidade para discutir as questões que os outros têm a respeito do futuro… e do presente! Pegue qualquer jornal. Escute qualquer programa de noticiário. Cada dia há acontecimentos a nossa frente clamando por explicações… e Deus as tem! Procure por oportunidades de relacionar o que a Bíblia tem a dizer a respeito dos acontecimentos correntes do mundo. Fale e mostre aos outros a relevância da Bíblia para a última crise nacional ou mundial.

Demonstre interesse autêntico pelos outros — A natureza humana é demasiadamente marcada pelo egoísmo. Você não concorda? As pessoas se preocupam muito mais a respeito de si mesmas do que com o outro. Portanto, demonstre algum interesse genuíno pelos outros. Lembre-se dos nomes. Preste atenção aos times esportivos favoritos e aos seus craques, às coisas que dizem respeito ou que interessam a seus amigos. Saia de sua rotina para mostrar-lhes seu interesse. Assim os outros começarão a vê-lo como um amigo… e a ver o cristianismo como algo desejável.

Encontre não-crentes por aí — O que quero dizer com “por aí”? Você encontrará um número muito pequeno de não-crentes em sua igreja ou em seu grupo jovem. Certamente, encontrará na igreja, visitantes que estavam vagando pela rua e buscando abrigo na igreja, ou que

foram levados para lá por um amigo ou vizinho. Mas a maior parte dos não-crentes está lá fora — na vizinhança… na escola… no campo de futebol… ou na pista de skate. Portanto encontre-os por aí. Encontre-os sempre que vocês dois tiverem algum assunto para tratarem juntos.

Convide não-crentes para participar de seus divertimentos e interesses — Além de preocupar-se com os interesses e divertimentos das pessoas, você também pode convidá-las para que se interessem pelos seus. Você joga bola? Então convide alguém para juntar-se a você e a seus amigos para um amistoso “bate-bola” no terreno perto de sua casa ou no campinho. Ou quem sabe você jogue xadrez… ou pratique esqui aquático? Da mesma forma que outros rapazes prestam atenção na sua vida “pessoal e íntima” no campo das competições ou desfrutam de um divertimento, eles se darão conta que você é mais do que simplesmente uma pessoa, mas é também um cristão.

De Uma Resposta a Sua Esperança

Não muito depois que comecei a ensinar no Seminário Talbot, no sul da Califórnia, o chefe do meu departamento pediu-me para preparar um seminário sobre a vida estudantil em Chicago. Embora soubesse que um dos oradores principais era formado em teologia por uma famosa universidade, não demorou muito para que me desse conta de que aquele homem não tinha a menor idéia sobre o que significava ter um relacionamento pessoal com Jesus Cristo.

Assim, durante um dos intervalos para almoço, sentei-me com esse “doutor” e iniciei uma conversa a respeito da salvação, da mensagem de Jesus Cristo e do fato de que aqueles que não se tornaram cristãos estão condenados a uma eternidade sem Deus. Eu nunca me esquecerei da resposta desse professor de religiosos…

“Bem, e o que você me diz sobre os pagãos da África?”

Essa questão trouxe à tona o mais comum dos medos que as pessoas têm a respeito de compartilharem sua fé. Elas temem… E ponderam: “E se alguém fizer uma pergunta que eu não possa responder?”

Bem, as chances de que isso aconteça não são muito grandes, porque há somente cerca de sete questões que os não-crentes geralmente perguntam quando eles se defrontam com a verdade da palavra de Jesus Cristo. E, acredite se quiser, aquele homem bem preparado fez-me a pergunta número um da lista!

Uma pergunta para você — Você é como o a maioria dos rapazes, pois teme as questões que possam surgir em seu caminho depois de construir as pontes, após desenvolver os laços de amizade? Bem, parabéns! As perguntas são uma coisa boa. Felizmente haverá perguntas! Você deveria dar a elas as boas-vindas. Perguntas são um sinal positivo de que a pessoa deseja ouvir mais, e de que Deus deve estar trabalhando em seu coração!

Testemunhar a favor de Cristo não é um caminho de mão única. E questionar não é um monólogo, mas um diálogo. A evangelização implica em ouvir as outras pessoas. Trata-se de compreender seus medos e questionamentos. E trata-se de procurar dar respostas bíblicas.

O que nós, os cristãos, precisamos é ter compaixão suficiente para descobrir as dúvidas que nossos amigos têm para depois buscar na Bíblia as respostas. Como disse momentos atrás, há somente cerca de sete questões básicas (ou objeções) que os não-crentes apresentam. Eu as enumero aqui. E após cada objeção, mostro os textos básicos das Escrituras que o ajudarão com as respostas. Meu pedido é para que você desenvolva os tipos de amizades com os outros que os deixarão à vontade para fazer-lhe uma dessas — ou talvez todas — questões.

Sete Objeções Básicas ao Evangelho

1. E quanto aos pagãos que nunca ouviram o Evangelho?

(Resposta: SI 19.1; Rm 1.18-20)

2. Cristo é o único caminho para Deus?

(Resposta: Jo 14.6)

3. Por que os inocentes sofrem?

(Resposta: Rm 5.12)

4. Os milagres podem ser possíveis?

(Resposta: Jo 1.1,14; 3.2)

5. A Bíblia não está repleta de erros?

(Resposta: 2 Tm 3.16; Hb 1.1,2; 2 Pe 1.20,21)

6. A experiência cristã não é meramente psicológica?

(Resposta: At 9 — a conversão de Paulo; Rm 5.8-10)

7. Uma boa vida moral pode levar-me para o céu? (Resposta: G12.16; Tt 3.5; Tg 2.10)

Transformando Sua Vida Em Uma Aventura Radical

Bem, já falamos a respeito de fazer amizades com os tipos de cristãos que o ajudarão a impulsioná-lo para frente e para cima. Portanto, talvez você imagine porque falamos agora a respeito de construir pontes para alcançar os outros. Quando falamos da evangelização e do alcance de outras pessoas, não falamos em realizar “encontros evangélicos” com aqueles que não são ou em “infiltrar-se” em um grupo de não-crentes a ponto de nos tornarmos tão parecidos com eles que possamos perder nossa identidade como cristãos. Falamos do tipo de amigos que você desenvolve em sua classe, no ginásio de esportes, em uma equipe esportiva ou em um grupo musical. Você e os seus amigos terão interesse e objetivos físicos em comum, mas obviamente, não compartilharão os mesmos objetivos espirituais.

Mas não gostaria que eles conhecessem a mesma alegria que você conhece como cristão? É por isso que precisamos enfrentar a tarefa de construir pontes e de fazer amizades, de forma que você possa “responder com mansidão e temor a qualquer que […] [lhe] pedir a razão da esperança que há em” você (1 Pe 3.15). O desafio é grande. A aventura é radical. Mas as recompensas são eternas para aqueles que vêm para Cristo por intermédio de seu testemunho — tanto o verbal como o não-verbal. Mostre para as pessoas que você realmente se importa. Supere seus medos e preocupações e volte-se para o Senhor.

“Não temais o povo desta terra […] o Senhor é [com você]” (Nm 14.9).

Desafios Para Hoje

Preencha esta folha de trabalho ou delineie o que você precisa para desenvolver seu testemunho pessoal. Em cada parte, escreva de três a quatro sentenças
Parte um — Minha vida antes de aceitar Jesus Cristo
Recorde-se de sua vida. Quais foram algumas das circunstâncias que o levaram à aceitar Cristo como seu Senhor e Salvador?

Parte Dois — Como eu tive um encontro com Jesus Cristo

Descreva as pessoas que eram fiéis e que estavam disponíveis por ocasião de seu nascimento espiritual. O que aconteceu?

Parte Três — Como ficou minha vida desde que encontrei Jesus Cristo

Que mudanças ou diferenças você — e possivelmente outros — observaram em sua vida desde que se tornou um cristão?

Aprofunde Seu Conhecimento
Procura apresen tar-te a Deus aprovado, como obreiro […] que maneja bem a palavra da verdade.

— 2 Timóteo 2.15

Leia Marcos 5.1-20. Utilize o mesmo esquema de três partes que o ajudou a escrever seu testemunho pessoal e desenvolva o testemunho para o homem que aparece nessa passagem de sua Bíblia.

Parte um — A vida dele antes de aceitar Jesus Cristo
Parte dois — Como ele teve um encontro com Jesus Cristo
Parte três — Como ficou a vida dele depois que encontrou Jesus Cristo

Leia marcos 7.31 — 8.9. Qual parece ter sido o impacto do testemunho desse homem?
Peça a Deus…

— para lhe dar uma oportunidade de compartilhar o motivo de sua esperança — seu testemunho pessoal — com alguém esta semana.
— para encorajá-lo a fazer o seguinte: “Vai para tua casa, para os teus, e anuncia-lhes quão grandes coisas o Senhor te fez e como teve misericórdia de ti” (Mc 5.19). Compartilhe com os mais chegados a você

— familiares, amigos, e vizinhos — o que Jesus fez por você.

 

Pr.Raul
Pr.Raul
Pastor do Ministério Nascido de Novo e coordenador do Seminário Teológico Nascido de Novo, Youtuber e marido da Irmã Vanessa Ângelo.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *