João 6.47 – “aquele que crê” ou “aquele que crê em mim”?

SUPERMAN E A BUSCA PELA PERFEIÇÃO
29/11/2020
LEI E GRAÇA
30/11/2020

 

Nas questões de variantes textuais, na grande maioria das vezes o texto eclético (crítico) vai discordar do Texto Bizantino (onde encontramos o texto Recebido, o Texto Majoritário e o Texto da Família 35). Porém, em alguns casos, mesmo contendo uma variante em um determinado versículo, uma tradução que esteja baseada no texto eclético, por exemplo, pode seguir o texto bizantino. Antes, porém, vejamos João 6:47 nos textos gregos da SBU (4ª ed) e no Textus Receptus, respectivamente.

 

A passagem no Evangelho de João 6:47 no texto eclético:

 

“αμην αμην λεγω υμιν ο πιστευων εχει ζωην αιωνιον”

“em verdade em verdade vos digo: que quem crê tem a vida eterna”

 

Agora, vejamos a mesma passagem no Textus Receptus:

 

“αμην αμην λεγω υμιν ο πιστευων εις εμε εχει ζωην αιωνιον”

“em verdade em verdade vos digo que quem crê em mim tem a vida eterna”

 

Como podemos ver, existe uma pequena variação entre os dois textos. No texto Receptus a partícula “em mim”  ressalta uma ênfase maior na crença em Jesus, e, assim como na maioria dos exemplos de variantes do Novo Testamento, essa passagem parece ter sofrido um “ataque” gnóstico em algum momento da história da transmissão do texto grego no evangelho de João, texto esse que fortalece a doutrina da deidade do Cristo.

Vejamos então em quais documentos antigos podemos encontrar, tanto a leitura mais curta quanto a mais longa da passagem de João 6:47.

 

 

Testemunhas documentais para Jo 6:47

 

 

É bom lembrar que existem outras testemunhas documentais, mas destaco aqui apenas aqueles que julgo serem os mais antigos e importantes para a análise desse artigo.

 

Dentre os documentos que não trazem a variante “εις εμε”, encontramos o códice Sinaíticus א (século IV), Vaticanus B (século IV), Efraimita C (século V) Whashingtoniano W (século V); temos também uma ítala do século VI ( itj ), uma copta do século IV (copacm ), também o pai da igreja Cirilo, no século V.

 

Porém, dos documentos que atestam a variante, destacamos o códice Alexandrinus A (século V), o códice Bezae D (século V), dentre outros; podemos encontrar também várias ítalas, vulgata, siríacas, coptas dentre outras traduções antigas, que datam desde o século IV até um período mais tardio. Ou seja, podemos encontrar antiguidade tanto no texto que não traz a variante quanto também no texto que traz a partícula “εις εμε” (em mim).

 

Entre os pais gregos da igreja, aqueles que mencionaram a partícula “εις εμε”, podemos ver Dídimo (século IV), Cirilo (século V), Hesíquio (século V). Entre os pais latinos, temos Hilário (século IV), Agostinho (século V). Interessante ver quantas atestações são encontradas nos escritos desses pais, mesmo sabendo que, muitas vezes ao citar as passagens bíblicas em suas obras, eles as faziam de memória, por isso alguma diferença ao texto bíblico pode ser notada em uma pesquisa mais profunda, entretanto, nessa passagem a evidência parece apontar que eles tinham em mãos um texto que enfatizava a fé em Jesus Cristo, que é exatamente o que encontramos em João 6:47, o que pode ser percebido também no Texto Majoritário.

 

No aparato crítico do texto da Família 35, o Dr Wilbur Pickering acrescenta, além dos documentos já citadas acima para a atestação da passagem, o códice N (século VI), além de nos informar que nós temos, de todos os manuscritos gregos existentes, 95% (como no Texto Majoritário) trazem o versículo em sua leitura maior (αμην αμην λεγω υμιν ο πιστευων εις εμε εχει ζωην αιωνιον), e apenas 5% não trazem εις εμε (texto eclético).

https://go.hotmart.com/W42164500O

 

Traduções em Língua Portuguesa

 

As traduções em Língua Portuguesa diferenciam-se conforme o texto grego usado. Como vimos no começo desse artigo, traduções que se baseiam no texto eclético não trazem “em mim”, então a fé trabalhada nessa passagem específica fica à mercê de interpretações diversas. Por exemplo, em João 6:47 a NVI nos diz:

“Asseguro-lhes que aquele que crê tem a vida eterna.”

A questão é, crê em que ou em quem? Fica a critério de quem lê.

 

A bíblia de Jerusalém segue à risca o texto eclético:

“Em verdade, em verdade, vos digo: aquele que crê tem vida eterna.”

 

 

 

Curiosamente, a Almeida Revista e Atualizada (ARA) vai concordar com a Almeida Corrigida Fiel (ACF) nesta passagem:

“Em verdade, em verdade, vos digo: aquele que crê em mim tem a vida eterna.” (ARA)

 

A questão é – qual a importância desta variante na teologia? Vejamos o que o Dr Wilbur Pickering comenta:

 

 

“Problema: Jesus está fazendo uma declaração formal sobre como se pode ter vida eterna. ‘Em verdade, em verdade vos digo que aquele que crê para dentro de Mim tem a vida eterna.’ Ao omitir ‘em Mim’, a NU abre a porta para o universalismo.

 

Discussão: Uma vez que é impossível viver sem crer em algo, todos creem – o objeto da crença é que é o essencial. O verbo ‘crer’ ocorre em outros locais desacompanhado de um objeto explícito (que é suprido pelo contexto), mas não em uma declaração formal como esta…” Pickering (2013).

 

Concordo com os argumento de Pickering em relação à importância desse versículo. Infelizmente, percebemos algumas variantes no Novo testamento que, de uma certa forma, vão ferir doutrinas, principalmente se estas trabalham a divindade de Cristo. Parece algo muito simples para ser levado à sério, mas é exatamente isso que os liberais querem, que finjamos que não estamos vendo nada, enquanto traduções bíblicas estão sendo distribuídas mundo a fora com um texto adulterado e que estimulam até mesmo algumas heresias.

 

Paz a todos!!

 

No vídeo abaixo comento mais sobre a passagem:

 

 

Referências

 

ALMEIDA, João Ferreira. A Bíblia Sagrada Revista e Atualizada, 2ª edição 1993, SBB, São Paulo;

_________, Corrigida Fiel: A Bíblia Sagrada; SBT do Brasil, São Paulo – SP, 2017;

Bíblia de Jerusalém: São Paulo (Brasil), Editora Paulus – 2002; 1ª edição, 2002, 11ª reimpressão, 2016;

Bíblia, Nova Versão Internacional NVI: São Paulo: editora Vida, 2007;

O NOVO TESTAMENTO GREGO (vários autores), 4ª edição revisada, 1993, SBB: 13ª impressão, 2007;

_________________. THE GREEK NEW TESTAMENT: According to the Family 35. Second Edition, 2015.

PICKERING, Dr Wilbur. Oficina Bíblica – As traduções do Novo Testamento em Português e Inglês: independente, 2013;

########################################
► Siga-me ◄
✩ Instagram: https://www.instagram.com/nascidodenovooficial/
✩ Facebook: https://www.facebook.com/nascidodenovo.org
✩ Facebook Pr. Raul: https://www.facebook.com/prraulbolota
✩ Twitter: https://twitter.com/nascidodenovo
✩ Site: http://www.nascidodenovo.org ✩ Pinterest: https://br.pinterest.com/nascidodenovo/
✩ Periscope: @nascidodenovo
✩ Cursos do Nascido de Novo: https://nascidodenovo.org/v4/cursos-nascido-de-novo/

######################################
Quer enviar algo para nós? Mande para nossa Caixa Postal:
Caixa Postal 73 - Araraquara - SP - CEP14801-970
Todos os presentes serão mostrados em nossos vídeos de Recebidos e mostrados em nossas redes sociais!
Se não quiser que apareça só mandar uma cartinha junto pedindo sigilo.
Nosso e-mail: contato@nascidodenovo.org

######################################
CONTRIBUA COM O NASCIDODENOVO.ORG:
https://nascidodenovo.org/v4/mantenedores/

Leydson Oliveira
Leydson Oliveira
Me chamo Leydson Oliveira. Sou formado em Pedagogia e pós-graduado em Gestão Escolar. Também tenho Bacharel em Teologia e atualmente sirvo na Igreja Batista da Adoração (IBA) na cidade de Mata Roma - MA.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *