Dia 31 – Entendendo sua forma

A Defesa da Autoridade Apostólica de Paulo
11/11/2012
A Igreja de Pérgamo: Doutrina de Balaão
12/11/2012

Tu moldaste-me primeiro por dentro e depois por fora; tu me formaste no ventre de minha mãe.
Salmos 139.13; Msg

Somente você pode ser você.

Deus projetou cada um de nós de modo que não houvesse réplica em todo o mundo. Ninguém tem exatamente a mesma composição de fatores que o tornam exclusivo. Isso significa que ninguém mais na terra será capaz de desempenhar o papel que Deus planejou para você. Se você não fizer sua contribuição individual para o corpo de Cristo, ela não será feita. A Bíblia diz: Existem tipos diferentes de dons […] Existem maneiras diferentes de servir [… e] Há diferentes habilida­des para realizar o trabalho.1No capítulo anterior, vimos as duas primeiras: seus dons espirituais (formação espiritual) e seu coração (opções do coração). Agora veremos o resto de sua configuração.

Forma: Aplicando seus recursos pessoais

Seus recursos pessoais são os talentos naturais com os quais você nasceu. Algumas pessoas têm uma habilidade natural com as pala­vras: já nascem falando! Outras têm habilidades atléticas naturais, destacando-se em agilidade física. Outras ainda são boas em mate­mática, música ou mecânica.
Quando Deus quis criar o Tabernáculo e todos os utensílios para adoração, cuidou para que houvesse artistas e artesãos que fossem formados com destreza, habilidade e plena capacidade artística para desenhar […] e executar todo tipo de obra artesanal.2 Hoje em dia, Deus ainda concede essas habilidades, bem como milhares de ou­tras, para que as pessoas possam servi-lo.

Todas as suas habilidades vêm de Deus. Até mesmo habilida­des usadas para o pecado foram dadas por Deus; estão apenas sen­do usadas para o mal ou de forma imprópria. A Bíblia diz: Deus dá a cada um de nós habilidade para fazer bem determinadas coisas? Visto que suas capacidades naturais vieram de Deus, elas são tão importantes e “espirituais” quanto seus dons espirituais. A única diferença é que você as recebeu no nascimento.
Uma das desculpas mais comuns que as pessoas dão para não servir é: “Eu simplesmente não tenho nenhuma aptidão a oferecer”. Isso é ridículo. Você tem dezenas, provavelmente centenas de habili­dades inexploradas, desconhecidas e ociosas, que estão latentes dentro de você. Vários estudos revelaram que uma pessoa comum tem de quinhentas a setecentas capacidades e habilidades — muito mais do que você imagina.
Por exemplo: o cérebro pode armazenar 100 trilhões de fatos. Sua mente pode lidar com 15 mil decisões por segundo, como ocorre quando seu sistema digestivo está trabalhando. Seu olfato pode per­ceber até 10 mil odores diferentes. Seu tato pode detectar um ele­mento com um mícron de espessura e sua língua pode detectar o gosto de uma parte de quinino em dois milhões de partes de água. Você é um conjunto de habilidades incríveis, uma maravilhosa cria­ção de Deus. Parte da responsabilidade da igreja é identificar e disponibilizar essas habilidades para servir a Deus.

Todas as habilidades podem ser usadas para a glória de Deus. Paulo disse: Quer vocês comam, bebam ou façam qualquer outra coisa, façam tudo para a glória de Deus.4A Bíblia é cheia de exem­plos de diferentes capacidades que Deus usou para sua glória. Aqui estão apenas algumas mencionadas nas Escrituras: capacidade ar­tística, capacidade arquitetônica, administração, culinária, constru­ção de navios, produção de doces, capacidade para debates, dese­nho, embalsamamento, bordados, gravação, agricultura, pesca, jardinagem, liderança, gerenciamento, serviços de alvenaria, composi­ção, produção de armas, trabalhos com agulhas, pintura, plantação, filosofia, habilidade com maquinarias, invenções, carpintaria, nave­gação, atividades militares, alfaiataria, ensino, literatura e poesia. A Bíblia diz: Há diferentes habilidades para realizar o trabalho, mas é o mesmo Deus quem dá a cada um a habilidade para fazê-lo.5Deus tem um lugar em sua igreja, onde sua habilidade pode se distinguir e você pode fazer a diferença. Cabe a você achar esse lugar.
Deus dá a algumas pessoas a habilidade de ganhar muito di­nheiro. Moisés disse aos israelitas: Mas lembrem-se do Senhor, o seu Deus, pois é ele que lhes dá a capacidade de produzir riqueza.6Pes­soas com essa capacidade são boas em fazer os negócios crescerem, fechar acordos ou vendas e obter lucro. Se você possui habilidade para os negócios, deve usá-la para a glória de Deus. Como? Primeiro, compreenda que sua habilidade veio de Deus e dê o crédito a ele. Segundo, use sua empresa ou negócio para auxiliar na necessidade dos outros e partilhe sua fé com os que não crêem. Terceiro, devolva ao menos o dízimo (10%) do lucro para Deus, como ato de adoração.7 E, por fim, fixe para si a meta de ser um construtor do Reino, em vez de ser um construtor de riquezas. Vou explicar isso melhor no capítulo 33.

Deus quer que eu faça aquilo que sou capaz de fazer. Você é a única pes­soa na terra que pode usar suas habi­lidades. Ninguém mais pode assumir o seu papel, porque ninguém mais pos­sui a configuração exclusiva que Deus lhe deu. A Bíblia diz que Deus equipa você com tudo o que [você necessita] para fazer a sua vontade.8Para descobrir a vontade de Deus para sua vida, você deve examinar seriamente em que você é bom e para que não tem habilidade.
Se Deus não lhe deu a habilidade de cantar bem, não esperará que você seja cantor de ópera. Deus jamais lhe pedirá que dedique a vida a uma tarefa para a qual você não tem talento. No entanto, as habilidades que você efetivamente tem são um forte indício do que Deus quer que você faça com sua vida. São pistas para que você conheça a vontade de Deus para você. Se você for bom em projetar, recrutar, desenhar ou organizar, é seguro supor que os planos de Deus para sua vida incluem tal habilidade de alguma forma. Deus não desperdiça habilidades; ele combina nosso chamado com nos­sas habilidades.
Suas habilidades não foram concedidas apenas para que você ganhe a vida; Deus as concedeu para que você exerça seu ministério. Pedro disse: Deus deu a cada um de vocês algumas capacidades especiais; estejam certos de as estarem utilizando para se ajudarem mutuamente, transmitindo aos outros as muitas espécies de bên­çãos de Deus.9
Enquanto este livro é escrito, aproximadamente sete mil pessoas estão usando suas habilidades para o ministério na igreja de Saddleback, suprindo todo tipo de serviço que você possa imaginar: con­sertando carros doados para que sejam dados aos necessitados, achando os melhores negócios para as compras da igreja, trabalhan­do com paisagismo, organizando arquivos, projetando arte, progra­mas e prédios, fornecendo tratamento de saúde, preparando refei­ções, compondo músicas, ensinando música, escrevendo propostas de subvenções, treinando times, fazendo pesquisas para sermões ou traduzindo-os e realizando centenas de outras tarefas especializa­das. Dizemos aos novos membros: “Não importa no que você é bom; seja o que for, você deve estar fazendo para sua igreja!”

Forma: Usando seu modo de ser

Não nos damos conta de como cada um de nós é verdadeiramente único. As moléculas de dna podem se reunir em um número infinito de formas. A possibilidade de você algum dia vir a encontrar alguém exatamente igual a você é de 1 para 10 elevado a 2 400 000 000ª. potência. Se você fosse escrever esse número com cada zero da espessura de uma polegada, seria necessário uma tira de papel com 60 mil quilômetros!
Para que você coloque isso em perspectiva, alguns cientistas acre­ditam que o número de todas as partículas do Universo não passa de 10 seguido de 76 zeros; um número muito menor que as possibi­lidades de seu dna. Sua singularidade é um fato científico da vida. Quando Deus o fez, ele quebrou a forma. Nunca houve nem haverá alguém exatamente igual a você.
É obvio que Deus aprecia a diversidade — basta olhar à volta! Ele criou cada um de nós com uma combinação exclusiva de traços de personalidade. Deus fez osintrovertidos e os extrovertidos. Fez as pessoas que gostam de rotina e as que gostam de variar. Fez algu­mas pessoas “racionais” e outras “emocionais”. Algumas pessoas tra­balham melhor em tarefas individuais, enquanto outras trabalham melhor em equipe. A Bíblia diz: Deus age por intermédio de homens e maneiras diferentes, mas é o mesmo Deus que atinge seus propó­sitos mediante todos eles.10
A Bíblia nos dá um monte de provas de que Deus usa todos os tipos de personalidades. Pedro era sangüíneo. Paulo era colérico. Jeremias era melancólico.Quando você vê as diferenças de persona­lidade entre os doze discípulos, fica fácil entender por que algumas vezes houve conflitos interpessoais.
Não existe temperamento “certo” ou “errado” para o ministério. Todos os tipos de personalidades são necessárias para equilibrar a igreja e lhe dar sabor. O mundo seria um lugar muito chato se fôsse­mos todos apenas baunilha. Felizmente, as pessoas vêm em mais de 31 sabores.
Seu modo de ser ou personalidade afetará como onde você usa­rá suas habilidades e dons espirituais. Por exemplo: duas pessoas podem ter o dom de evangelização, mas, se uma é introvertida e a outra é extrovertida, esse dom será expresso de formas distintas.
Marceneiros sabem que é mais fácil trabalhar no sentido das fi­bras da madeira do que de modo perpendicular a elas. Do mesmo modo, quando você é forçado a ministrar de forma contrária ao seu temperamento, cria-se tensão e desconforto, exigem-se quantidades extras de esforço e energia e os melhores resultados não são atingi­dos. É por isso que copiar o ministério de outra pessoa nunca funcio­na; você não detém a personalidade da outra pessoa. Além do mais, Deus o fez para ser você! Você podeaprender a partir do exemplo de outras pessoas, mas deve filtrar o que aprende através de sua pró­pria forma. Hoje em dia existem muitos livros e ferramentas que podem ajudá-lo a compreender sua personalidade, para que você possa determinar como usá-la para Deus.
Como vidro colorido, nossas diferentes personalidades refletem a luz de Deus em muitas cores e padrões. Isso abençoa a família de Deus com intensidade e variedade, e também nos abençoa pessoal­mente. É agradável fazer aquilo para o que Deus o preparou. Quando você mi­nistra de forma coerente com a perso­nalidade que Deus lhe deu, sente-se realizado, satisfeito e produtivo.

Forma: Utilizando suas áreas de experiência

Você foi formado pelas experiências que teve na vida, estando a maioria delas além de seu controle. Deus as permitiu para o seu propósito na sua formação.11 Ao determinar sua forma para servir a Deus, você deve examinar ao menos seis tipos ou áreas de experiên­cias de seu passado:

•  Experiências familiares: O que você aprendeu sendo criado por sua família?
•  Experiências educacionais: Quais eram suas matérias favori­tas na escola?
•  Experiências vocacionais’. Em quais empregos você foi mais eficiente e de que mais gostou de trabalhar?
• Experiências espirituais. Qual foi sua época mais significativa com Deus?
• Experiências no ministério: Como você serviu a Deus no pas­sado?
• Experiências árduas: Com quais problemas, mágoas, espinhos e provações você aprendeu?

É a última categoria, experiências árduas, que Deus mais usa para prepará-lo para o ministério. Deus jamais desperdiça uma dor! Na verdade, é muito provável que seumaior ministério surja de sua maior dor. Quem poderia ministrar melhor aos pais de uma criança com síndrome de Down do que outro casal que tenha um filho pade­cendo do mesmo mal? Quem poderia ajudar melhor na recuperação de um alcoólatra do que alguém que tenha combatido esse demônio e tenha achado a liberdade? Quem poderia confortar melhor uma esposa que tenha sido trocada por uma amante do que uma mulher que tenha passado pela mesma agonia?
Deus intencionalmente permite que você passe por experiências árduas, a fim de capacitá-lo a ministrar às outras pessoas. A Bíblia diz: Ele nos conforta em todos os nossos problemas, de modo que podemos confortar a outros. Quando alguém estiver atribulado, se­remos capazes de dar-lhe o mesmo conforto que recebemos de Deus.12 Se você realmente deseja ser usado por Deus, deve entender uma verdade poderosa: as mesmas experiências que lhe trouxeram mais arrependimento e ressentimento na vida — aquelas que você queria esconder e esquecer são as que Deus quer usar para ajudar aos ou­tros. Elas são seu ministério!
Para que Deus utilize suas experiências dolorosas, você deve estar disposto a partilhá-las. Você tem de parar de encobri-las e deve admitir honestamente suas faltas, fracassos e temores. Fazer isso provavelmente tornará seu minis­tério mais eficiente. As pessoas se sen­tem mais estimuladas quando lhes contamos como a graça de Deus nos ajudou na fraqueza do que quando fa­zemos alarde sobre nossa força.
Paulo compreendeu essa verdade, por isso era honesto sobre seus acessos de depressão. Ele admitia: Eu acho que vocês devem saber, amados irmãos, que tempos difí­ceis nós atravessamos na Ásia. Fomos realmente esmagados e opri­midos, e tivemos medo de não conseguir sobreviver. Sentimos que estávamos condenados à morte e percebemos como éramos fracos demais para socorrer-nos a nós mesmos; isso, porém, foi bom, por­que assim nós colocamos tudo nas mãos de Deus, o único que poderia salvar-nos, pois é capaz até de le­vantar os mortos. E ele nos ajudou mesmo, e nos sal­vou de uma morte terrível; sim, e esperamos que ele faça assim sempre.13
Se Paulo tivesse mantido em segredo sua experiência de dúvida e depressão, milhões de pessoas nunca se teriam beneficiado dela. Somente experiências partilhadas podem benefici­ar os outros. Aldous Huxley disse: “Experiência não é o que acontece com você. É o que você faz com o que acontece com você”. O que você fará com o que você tem passado? Não desperdice sua dor; use-a para ajudar os outros.
Após termos visto essas cinco vias que Deus utilizou a fim de moldá-lo para seu serviço, espero que você venha a apreciar mais profundamente a soberania de Deus e tenha uma idéia mais clara de como ele o preparou para o propósito de servi-lo. Utilizar a sua for­ma é o segredo tanto da produtividade quanto da realização no ministério.14 Você alcançará sua eficiência máxima quando utilizar seus dons espirituais habilidades na área de interesse de seu cora­ção, de uma forma que melhor expresse sua personalidade e suas experiências. Quanto melhor o enquadramento, mais bem-sucedido você será.

Trigésimo Primeiro Dia
Pensando sobre meu propósito

Um tema para reflexão: Ninguém mais pode ser eu.

Um versículo para memorizar: Deus deu a cada um de vocês algumas capacidades especiais; estejam certos de as estarem utilizando para se ajudarem mutuamente, transmitindo aos outros as muitas espécies de bênçãos de Deus (1 Pedro 4.10; bv).

Uma pergunta para meditar: Que capacidade dada por Deus ou experiência pessoal posso oferecer a minha igreja?

Pr.Raul
Pr.Raul
Pastor do Ministério Nascido de Novo e coordenador do Seminário Teológico Nascido de Novo, Youtuber e marido da Irmã Vanessa Ângelo.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *