Bases Para um Ministério Vivo – Perseguição Do Adversário

Bases Para um Ministério Vivo – Dedicação Total
14/06/2014
Bases Para um Ministério Vivo – Total Dependência De Deus
16/06/2014

Assim, pois, com muitas exortações anunciava o evangelho ao povo; mas Herodes, o tetrarca, sendo repreendido por ele (João Batista), por causa de Herodias, mulher de seu irmão, e por todas as maldades que o mesmo Herodes havia feito, acres¬centou ainda sobre todas a de lançar João no cárcere (Lucas 3.19-20).

A Palavra de Deus diz que todo aquele que quiser viver piedosamente padecerá perseguições. Perseguições terríveis vindas do inferno, dos homens maus, do mundo e da própria Igreja, quando esta se torna alienada, quando perde a visão de Jesus como Senhor e cultiva uma visão míope da vida cristã. João Batista foi terrivelmente perseguido por Herodias, por Herodes, pelos religiosos e pelo inferno, mas ele enfrentou todos eles, crendo na vitória; fez proezas; seguiu o caminho do Senhor, indo de encontro à opinião pública; nadou contra a correnteza; confiou, mesmo no vale da sombra da morte, e tornou conhecido o evangelho do reino. Quem anda com Deus não teme nada.

A decisão pela vida séria com Deus, geralmente é algo que não vai de encontro à vontade da maioria das pessoas e do inferno, daí a perse¬guição. Quando Daniel se propôs firmemente a não se contaminar, ele foi parar na cova dos leões; Sadraque, Mesaque e Abede-Nego foram parar na fornalha acesa, e Jesus, no Calvário; mas toda perseguição do diabo se torna sempre falida e frustrada, porque Deus cumpre seus propósitos, e sua vontade nunca será frustrada, e Ele, enfim, livrará o seu povo.

Certa vez um rapaz fantasiou-se de demônio para uma festa à fantasia (lembremo-nos de que o demônio não tem chifres, nem calda, não é vermelho, nem verde como se imagina). Aquele rapaz pôs chifres, pintou-se de verde, colocou dentões esquisitos, vestiu uma capa, empunhou um tridente e saiu. Começou então a chover e a relampejar. Havia uma igreja evangélica no caminho, de onde se ouviam cânticos do povo reunido. O rapaz, fantasiado, escondeu-se debaixo da marquisa com o fim de se proteger da forte chuva. Acabou a energia elétrica, e ele, com medo, entrou na igreja (esqueceu-se de que ainda estava vestido com aquela fantasia). Ao entrar ele no santuário, os seus ocupantes começaram a gritar: “Olhem o diabo, vamos embora daqui, corram todos!” Saía gente pela porta, pelas janelas, atropelando o pastor, que dizia: “Que está acontecendo? Não vão embora!” Fez-se uma terrível gritaria: “Olhem o demônio, olhem o capeta!” Havia um jovem tocando órgão. O rapaz foi se aproximando dela, meio confuso, sem saber o que estava acontecendo, e ela disse: “Não vem não! Eu nunca incomodei você, nunca chamei você, nunca fiz nada contra você, nunca falei mal de você.”

É natural que tudo isso nos faça rir, mas, às vezes, acontece ainda pior conosco. Alimentamos o medo, o receio, e nos sentimos impotentes contra os espíritos enganadores. Há pessoas que nunca são perseguidas, porque não incomodam ninguém, são acomodadas, são frias, afastadas de Deus. São “crendeiros” e não crentes cretinos! Não pretendo machucar a Igreja de Jesus Cristo, mas desejo que vocês estejam alertas, pois a fúria do adversário é terrível, ele não brinca em serviço.

Querido leitor, eis uma palavra muito importante: Se você honra a Deus, Ele também honrará a você. Não estou afirmando que haverá sempre uma proteção total. Às vezes a fé honra a Deus, mas é melhor perder a cabeça do que perder a consciência.

Pr.Raul
Pr.Raul
Pastor do Ministério Nascido de Novo e coordenador do Seminário Teológico Nascido de Novo, Youtuber e marido da Irmã Vanessa Ângelo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *