Bases Para um Ministério Vivo – Introdução

Ex-gays prestam apoio a Marisa Lobo
07/06/2014
Bases Para um Ministério Vivo – Certeza Da Vocação Divina
09/06/2014

Texto-Base Desta Mensagem:

Lucas 1.8 -17 e 1.67-80

8 Ora, aconteceu que, exercendo ele diante de Deus o sacerdócio na ordem do seu turno, coube-lhe por sorte,
9 segundo o costume sacerdotal, entrar no santuário do Senhor para queimar o incenso;
10 e, durante esse tempo, toda a multidão do povo permanecia da parte de fora, orando.
11 E eis que lhe apareceu um anjo do Senhor, em pé, à direita do altar do incenso.
12 Vendo-o, Zacarias turbou-se, e apoderou-se dele o temor.
13 Disse-lhe, porém, o anjo: Zacarias, não temas, porque a tua oração foi ouvida; e Isabel, tua mulher, te dará à luz um filho a quem darás o nome de João.
14 Em ti haverá prazer e alegria, e muitos se regozijarão com o seu nascimento.
15 Pois ele será grande diante do Senhor, não beberá vinho nem bebida forte, será cheio do Espírito Santo, já do ventre materno.
16 E converterá muitos dos filhos de Israel ao Senhor seu Deus.
17 E irá adiante dele no espírito e poder de Elias, para converter os corações dos pais aos filhos, converter os desobedientes à prudência dos justos e habilitar para o Senhor um povo preparado.
67 Zacarias, seu pai, cheio do Espírito Santo, profetizou, dizendo:
68 Bendito seja o Senhor Deus de Israel, porque visitou e redimiu o seu povo,
69 e nos suscitou plena e poderosa salvação na casa de Davi, seu servo,
70 como prometera, desde a antigüidade, por boca dos seus santos profetas,
71 para nos libertar dos nossos inimigos e da mão de todos os que nos odeiam;
72 para usar de misericórdia com os nossos pais e lembrar-se da sua santa aliança
73 e do juramento que fez ao nosso pai Abraão,
74 de conceder-nos que, livres da mão de inimigos, o adorássemos sem temor,
75 em santidade e justiça perante ele, todos os nossos dias.
76 Tu, menino, serás chamado profeta do Altíssimo, porque precederás o Senhor, preparando-lhe os caminhos,
77 para dar ao seu povo conhecimento da salvação, no redimi-lo dos seus pecados;
78 graças à entranhável miseri¬córdia de nosso Deus, pela qual nos visitará o sol nascente das alturas,
79 para alumiar os que jazem nas trevas e na sombra da morte, e dirigir os nossos pés pelo caminho da paz.
80 O menino crescia e se fortalecia em espírito. E viveu nos desertos até ao dia em que havia de manifestar-se a Israel.

INTRODUÇÃO
A Palavra de Deus, na carta aos Romanos, capítulo 12, versículos 4 e 5, nos diz: Porque, assim como num só corpo temos muitos membros, mas nem todos os membros têm a mesma função; assim também nós, conquanto muitos, somos um só corpo em Cristo e membros uns dos outros.

Somos membros do corpo de Cristo, e todos nós temos uma finalidade específica; não podemos estar fora do corpo e muito menos inativos, prejudicando a obra do reino de Deus.
Muitas pessoas, hoje, não contribuem em nada para a obra de Deus; outras já foram grandemente usadas, porém estão agora completa¬mente afastadas e presas por laços terríveis.
A Bíblia menciona os heróis da fé, mas menciona também os fracas¬sados na fé.

Um dos fracassados foi Acã, filho de Carmi, filho de Zabdi, filho de Zera, da tribo de Judá (Josué 7.1).

O povo de Israel fora vitorioso sobre Jerico; então Deus entregou a Josué aquela cidade com o seu rei e seus valentes.

O povo simplesmente rodeou a cidade sete vezes, e, após gritar, os sacerdotes tocaram as trombetas, e, tendo ouvido o povo o sonido da trombeta e levantado grande grito, ruíram as muralhas, e o povo subiu à cidade, cada qual em frente de si e a tomaram. Tudo quanto na cidade havia, destruíram totalmente ao fio da espada, assim o homem como a mulher, assim o menino como o velho, também o boi, as ovelhas e o jumento (Josué 16.20, 21).

Houve uma grande vitória, e Deus proibiu ao povo de Israel o apossar-se de qualquer coisa de valor, porque a cidade fora condenada, bem como tudo o que nela havia (Josué 6.17). Todo o ouro e utensílios de bron¬ze e de ferro deveriam ser consagrados ao Senhor e levados para o seu tesouro. Contudo, Acã tomou para si das coisas condenadas (Josué 7.1). Ele roubou vários utensílios preciosos: boa capa babilônica, duzentos ciclos de prata e uma barra de ouro de cinqüenta ciclos (Josué 7.21).

Mas tarde, Israel lutou contra um pequeno exército de uma cidade chamada Ai. Israel foi derrotado por este pequeno povo, e ficou completa¬mente envergonhado. Então orou Josué: Ah! Senhor Deus, por que fizeste passar a este povo o Jordão, para nos entregares nas mãos dos amorreus, para nos fazeres perecer? … Então disse o Senhor a Josué: Israel pecou, e violaram a minha aliança, aquilo que eu lhes ordenara, pois tomaram das coisas condenadas, e furtaram, e dissimularam, e até debaixo da sua bagagem o puseram. Pelo que os filhos de Israel não puderam resistir aos seus inimigos: viraram as costas diante deles, porquanto Israel se fizera condenado: Já não serei convosco, se não eliminardes do vosso meio a coisa roubada. Dispõe-te, santifica o povo… (Josué 7.7-13).

Acã pecou e Israel ficou totalmente contaminado, perdendo a guerra vergonhosamente. Foi preciso que se tirasse do meio do povo de Israel a iniqüidade que estava em Acã e sua família, para que a bênção de Deus reinasse novamente. Acã, sua família e seus bens foram apedrejados e queimados; depois reinou paz e força em Israel e eles derrotaram o exército de Ai.

Acã foi um fracasso, e atraiu a maldição divina sobre o povo de Deus, porque ele não desempenhou o seu papel no corpo de Cristo (a igreja) como deveria.

Outro exemplo de fracasso foi Gideão (Juizes 6 a 8). A Bíblia diz que o povo de Israel estava sofrendo muito por causa dos amalequitas, como também os povos do oriente. O povo clamou a Deus, e o Senhor enviou Gideão para livrá-lo.

Gideão foi grandemente usado por Deus. Com apenas trezentos homens, venceu um exército de cento e trinta e cinco mil soldados, fortemente armado. Deus armou toda a estratégia e entregou o inimigo em suas mãos, contudo Gideão só alcançou esta vitória, porque não perseverou nem vigiou. Não se pôs em vigilância constante nem demonstrou dependên¬cia total de

Deus, qualidades que muita gente já perdeu, esqueceu, e por isso o mundo está escravizado e alienado de Deus.

A Palavra do Senhor diz que convidaram Gideão para serrei. Ele não quis, e pediu o ouro dos amalequitas. Eram 135 mil braceletes de ouro, e a Palavra de Deus diz que com aquele ouro ele fez um santuário para adoração idolatra. Em Juizes 8, versículo 27, diz:

Desse peso fez Gideão uma estola sacerdotal, e a pôs na sua cidade, em Ofra, e todo o Israel se prostituiu após dela; a qual veio a ser um laço a Gideão e à sua casa.

Gideão não exercitou a vigilância constante; não cultivou a dependência de Deus e, conseqüen¬temente, teve um fim terrível. As argolas o prenderam. As argolas do pecado, as argolas de ouro. Ele foi posto de lado, e o povo ficou escra¬vizado, num momento obscuro e difícil, quando Israel precisava de um bom líder. A liderança caiu! O povo também! Quantos, sabemos nós, já foram homens de Deus, usados por Deus, e hoje não mais o são! Quantos que já fizeram a Deus votos de ministério, de obediência, e não perseveraram, porque foram amarrados pelo pecado, pela opressão maligna, pelo ouro, pelo sexo, pelo orgulho, pela religiosidade humana, pelo preconceito, pela indiferença, pelo ódio, pela poli¬ticagem! Não seja como Gideão, que foi, venceu e teve apenas uma vitória. O Senhor quer que você vença sempre e não apenas uma vez.

Após uma grande vitória pode surgir uma enorme derrota.

Por isso o ministério tem que ter bases firmes e sólidas, um alicerse bastante resistente para agüentar as pressões internas e externas, humanas e espirituais.

Muitos missionários, amigos do apóstolo Paulo, também abandonaram a obra de Deus. Vejamos alguns deles:

Porque Demas, tendo amado o presente século, me abandonou e se foiçara Tessalônica. (2 Timóteo 4.10).
Estás ciente de que todos os da Ásia me abandonaram; dentre eles cito Figelo e Hermogenes (2 Timóteo 1.15).
Também muitos dos discípu-los de Jesus o abandonaram. A vista disso, muitos dos seus discípulos o abandonaram e já não andavam com ele (João 6.66).

Para que você também não seja um derrotado no ministério, o Senhor deixa na sua Palavra alguns princípios para um ministério abençoado.

Vamos aprender com a vida de João Batista, o precursor de Jesus Cristo, as principais bases para um ministério vivo. Você não deve ser um fracassado na fé. Deus deseja usá-lo livremente para o louvor da sua glória.

Lembre-se: A Igreja de Deus é como um corpo humano: todos os membros são de fundamental impor¬tância. Desenvolva a sua parte e verá como é maravilhoso ser filho de Deus, como é bom estar no centro da sua vontade.

João Batista teve um ministério maravilhoso. Deus cumpriu nele os de¬sejos mais íntimos do seu coração.

João Batista cumpriu plenamente o seu ministério.

Vamos aprender a apropriar-nos também desta grande bênção.

Pr.Raul
Pr.Raul
Pastor do Ministério Nascido de Novo e coordenador do Seminário Teológico Nascido de Novo, Youtuber e marido da Irmã Vanessa Ângelo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *