Atos 2 – o Impacto do Pentecostes como Evangelização

Teologia Do Novo Testamento – A Natureza Humana e o Pecado
26/06/2014
Teologia Do Novo Testamento – A Verdadeira Justiça e A Salvação Messiânica
27/06/2014

A descida do Espírito Santo
1 Ao cumprir-se o dia de Pentecostes, estavam todos reunidos no mesmo lugar; 2 de repente, veio do céu um som, como de um vento impetuoso, e encheu toda a casa onde estavam assentados. 3 E apareceram, distribuídas entre eles, línguas, como de fogo, e pousou uma sobre cada um deles. 4 Todos ficaram cheios do Espírito Santo e passaram a falar em outras línguas, segundo o Espírito lhes concedia que falassem.
O dom de línguas
5 Ora, estavam habitando em Jerusalém judeus, homens piedosos, vindos de todas as nações debaixo do céu. 6 Quando, pois, se fez ouvir aquela voz, afluiu a multidão, que se possuiu de perplexidade, porquanto cada um os ouvia falar na sua própria língua. 7 Estavam, pois, atônitos e se admiravam, dizendo: Vede! Não são, porventura, galileus todos esses que aí estão falando? 8 E como os ouvimos falar, cada um em nossa própria língua materna? 9 Somos partos, medos, elamitas e os naturais da Mesopotâmia Judéia, Capadócia, Ponto e Ásia, 10 da Frígia, da Panfília, do Egito e das regiões da Líbia, nas imediações de Cirene, e romanos que aqui residem, 11 tanto judeus como prosélitos, cretenses e arábios. Como os ouvimos falar em nossas próprias línguas as grandezas de Deus? 12  Todos, atônitos e perplexos, interpelavam uns aos outros: Que quer isto dizer? 13 Outros, porém, zombando, diziam Estão embriagados!
O discurso de Pedro
14 Então, se levantou Pedro, com os onze; e, erguendo a voz, advertiu-os nestes termos: Varões judeus e todos os habitantes de Jerusalém, tomai conhecimento disto e atentai nas minhas palavras. 15 Estes homens não estão embriagados, como vindes pensando, sendo esta a terceira hora do dia. 16 Mas o que ocorre é o que foi dito por intermédio do profeta Joel:
17 E acontecerá nos últimos dias, diz o Senhor, que derramarei do meu Espírito sobre toda a carne; vossos filhos e vossas filhas profetizarão, vossos jovens terão visões, e sonharão vossos velhos;
18 até sobre os meus servos e sobre as minhas servas derramarei do meu Espírito naqueles dias, e profetizarão.
19 Mostrarei prodígios em cima no céu e sinais embaixo na terra: sangue, fogo e vapor de fumaça.
20 O sol se converterá em trevas, e a lua, em sangue, antes que venha o grande e glorioso Dia do Senhor.
21 E acontecerá que todo aquele que invocar o nome do Senhor será salvo.
22 Varões israelitas, atendei a estas palavras: Jesus, o Nazareno, varão aprovado por Deus diante de vós com milagres, prodígios e sinais, os quais o próprio Deus realizou por intermédio dele entre vós, como vós mesmos sabeis; 23 sendo este entregue pelo determinado desígnio e presciência de Deus, vós o matastes, crucificando-o por mãos de iníquos; 24 ao qual, porém, Deus ressuscitou, rompendo os grilhões da morte; porquanto não era possível fosse ele retido por ela. 25 Porque a respeito dele diz Davi:
Diante de mim via sempre o Senhor, porque está à minha direita, para que eu não seja abalado.
26 Por isso, se alegrou o meu coração, e a minha língua exultou; além disto, também a minha própria carne repousará em esperança,
27 porque não deixarás a minha alma na morte, nem permitirás que o teu Santo veja corrupção.
28 Fizeste-me conhecer os caminhos da vida, encher-me-ás de alegria na tua presença.
29 Irmãos, seja-me permitido dizer-vos claramente a respeito do patriarca Davi que ele morreu e foi sepultado, e o seu túmulo permanece entre nós até hoje. 30 Sendo, pois, profeta e sabendo que Deus lhe havia jurado que um dos seus descendentes se assentaria no seu trono, 31 prevendo isto, referiu-se à ressurreição de Cristo, que nem foi deixado na morte, nem o seu corpo experimentou corrupção. 32 A este Jesus Deus ressuscitou, do que todos nós somos testemunhas. 33 Exaltado, pois, à destra de Deus tendo recebido do Pai a promessa do Espírito Santo, derramou isto que vedes e ouvis. 34 Porque Davi não subiu aos céus, mas ele mesmo declara:
Disse o Senhor ao meu Senhor: Assenta-te à minha direita,
35 até que eu ponha os teus inimigos por estrado dos teus pés.
36 Esteja absolutamente certa, pois, toda a casa de Israel de que a este Jesus, que vós crucificastes, Deus o fez Senhor e Cristo.
Três mil batizados
37 Ouvindo eles estas coisas, compungiu-se-lhes o coração e perguntaram a Pedro e aos demais apóstolos: Que faremos, irmãos? 38 Respondeu-lhes Pedro: Arrependei-vos, e cada um de vós seja batizado em nome de Jesus Cristo para remissão dos vossos pecados, e recebereis o dom do Espírito Santo. 39 Pois para vós outros é a promessa, para vossos filhos e para todos os que ainda estão longe, isto é, para quantos o Senhor, nosso Deus, chamar. 40 Com muitas outras palavras deu testemunho e exortava-os, dizendo: Salvai-vos desta geração perversa. 41 Então, os que lhe aceitaram a palavra foram batizados, havendo um acréscimo naquele dia de quase três mil pessoas.
Como viviam os convertidos
42 E perseveravam na doutrina dos apóstolos e na comunhão, no partir do pão e nas orações. 43 Em cada alma havia temor; e muitos prodígios e sinais eram feitos por intermédio dos apóstolos. 44 Todos os que creram estavam juntos e tinham tudo em comum. 45 Vendiam as suas propriedades e bens, distribuindo o produto entre todos, à medida que alguém tinha necessidade. 46 Diariamente perseveravam unânimes no templo partiam pão de casa em casa e tomavam as suas refeições com alegria e singeleza de coração, 47 louvando a Deus e contando com a simpatia de todo o povo. Enquanto isso, acrescentava-lhes o Senhor, dia a dia, os que iam sendo salvos.

Atos 2

Após a descida do Espírito Santo no dia de Pentecostes, a multidão ficou atônita e fazendo questionamentos, como: — “Pois quê! não são galileus todos esses homens que estão falando?” (V 7). “Como pois os ouvimos, cada um, na nossa própria língua em que somos nascidos?” (V 8) E diz o testo que todos se maravilhavam e estavam suspensos, dizendo uns para os outros: — ” Que quer isto dizer?

No auge destes questionamentos que ficaram no ar, o apóstolo Pedro assume a palavra diante da multidão, e faz um discurso que abalou a religiosidade dos povos que habitavam em Jerusalém, de todas as nações, que esboçado apresenta a seguinte ordem:

1. Os discípulos não estão embriagados (v. 14-15)..
2. A profecia de Joel. (v. 16-21).
3. Jesus é o varão aprovado de Deus (v. 22).
4. Vós o crucificastes (v. 23).
5. Deus o ressuscitou (v. 24).
6. A profecia de Davi (v. 25-32.
7. O Espírito Santo é derramado (v. 33).
8. Deus o fez Senhor e Cristo (v.36).

Pedro explica ao povo que os discípulos não estavam embriagados à terceira hora do dia, o que corresponde em nossa forma de contar o tempo às 09,00 horas da manhã. Pedro Defende os discípulos e faz referência ao que foi dito pelo profeta Joel (v. 16). Mostra para o povo que Jesus é o aprovado por Deus com sinais e prodígios. Que este Jesus foi tomado pelo povo e crucificado, tendo Deus o ressuscitado dos mortos, porque a morte não podia detê-lo. Menciona as profecias messiânicas de Davi. Deus ressuscitou a Jesus e que os discípulos eram testemunhas e que se acha à destra de Deus, tendo recebido do Pai a promessa do derramamento do Espírito Santo, que agora era visto e ouvido. E concluiu dizendo: —” Saiba pois com certeza toda a casa de Israel que a esse Jesus, a quem vós crucificastes, Deus o fez Senhor e Cristo.

Ao terminar esta exposição de fatos, os ouvintes se dirigiram para os apóstolos e perguntaram: — “Que faremos varões irmãos?” E a resposta de Pedro foi categórica: —“Arrependei-vos e cada um de vós seja batizado em nome de Jesus Cristo, para perdão dos pecados; e recebereis o dom do Espírito Santo”. Esclarecendo que eles e seus filhos eram filhos da promessa, e a todos que estão longe; a tantos quando Deus chamar. Testificava e exortava, dizendo: —“…salvai-vos desta geração perversa”.

Naquele dia se converteram cerca de 3.000 almas, que perseveraram na doutrina dos apóstolos, na comunhão, e no partir do pão.
Podemos afirmar que o exemplo bíblico de evangelização abordado é muito singular. Poderíamos até afirmar que foi algo específico, diante da evidência dos fatos. O derramamento do Espírito foi algo notório para todos os que se achavam em Jerusalém. Foi visível. Foi audível. A promessa de Jesus havia se cumprido naquele dia de pentecostes.

Pedro cheio do Espírito Santo fez as colocações corretas, traçando a correlação dos fatos que se verificaram naqueles dias não muito distantes, em que muitos daquelas mesmas pessoas haviam participado do julgamento e crucificação de Jesus, e o que foi dito pelos profetas Joel e Davi. Sua mensagem foi extraordinária, levou as pessoas a profunda reflexão. Aconteceu então o grande milagre. Os corações ansiosos e agitados dos moradores de Jerusalém, têm sede de justiça, e estão desejoso de salvação. Eles buscaram os apóstolos que os orientaram para o arrependimento e batismo em nome de Jesus para o perdão dos pecados. Foi algo muito especial, uma benção como dizemos em nossos dias.

O exemplo que temos é de um grande culto ao ar livre para um povo que estava, curioso, estupefato e sedento do evangelho e que nosso testemunho, o testemunho de nosso relacionamento com Cristo é nossa arma mais poderosa para ganhar armas.

Pr.Raul
Pr.Raul
Pastor do Ministério Nascido de Novo e coordenador do Seminário Teológico Nascido de Novo, Youtuber e marido da Irmã Vanessa Ângelo.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *