A Terminologia do Batismo – Batismo e Plenitude do ES

ÁRVORE DE NATAL – ESPECIAL DE NATAL
19/12/2016
Gênesis 15.1-6 – Introdutórios a Genesis
20/12/2016

A  Terminologia  do  Batismo – Batismo e Plenitude do ES

O que surgiu do nosso estudo até aqui, e não pode ser diminuído pelos casos excepcionais de Atos 8 e 19, é que o dom do Espírito Santo é uma experiência cristã universal, por ser uma experiência cristã inicial. Todos os cristãos recebem o Espírito no momento em que começam as suas vidas cristãs.

Esta verdade também é confirmada pelo uso da expressão “batismo do Espírito” no Novo Testamento como equivalente a “dom do Espírito”, ou, antes, o verbo (já que a expressão sempre é verbal) “batizar” ou “ser batizado” com o Espírito Santo. O próprio conceito de “batismo” é de iniciação. O batismo na água é o ritual público da iniciação em Cristo. Ele representa visivelmente tanto o lavar dos pecados (Atos 22:16) quanto a concessão do Espírito. Veja Atos 2:38, onde os dois aspectos da salvação são relacionados com o batismo. Ele é o símbolo de que o batismo do Espírito é a realidade. Deve ter sido por isto que a reação imediata de Pedro, quando Cornélio foi balizado com o Espírito, foi dizer: “Porventura pode alguém recusar a água, para que não sejam balizados estes que, assim como nós, receberam o Espírito Santo?” (Atos 10:47; 11:16). Se eles tinham recebido a realidade, quem poderia recusar-lhes o sinal? Isto também explica a segunda pergunta aos “discípulos” em Éfeso. Quando estes lhe disseram que nunca tinham ouvido falar do Espírito Santo, ele imediatamente lhes perguntou em que tinham sido balizados. Os dois apóstolos ligaram claramente os dois batismos.

Além disso, não pode haver dúvida de que o batismo com o Espírito recebido por Cornélio foi sua iniciação em Cristo, sua conversão. Um anjo de Deus havia-lhe dito que mandasse chamar Simão Pedro, que lhe anunciaria uma mensagem através da qual ele e sua casa seriam “salvos” (Atos 11:14). Pedro pregou-lhe o evangelho, terminando com a promessa do perdão dos pecados pelo nome de Jesus (10:43). Depois que Cornélio e os de sua casa creram (15:7) e foram balizados, tanto com o Espírito como com água, é dito que eles “receberam a palavra de Deus” (11:1), enquanto (era duas passagens significativas) afirma-se que Deus lhes “concedeu o arrependimento para vida” (11:18) e “purificou-lhes pela fé os corações” (15:9).

Este conceito da natureza inicial do dom do Espírito, como é indicado pelo termo “batismo” e ilustrado pela conversão de Cornélio, está completamente em sintonia com o ensino geral dos apóstolos, como já vimos. Estar “no Espírito” (o que, na maneira de Pauto se expressar, é a mesma coisa que estar “em Cristo”) – são todas descrições de qualquer crente cristão, por mais novo na fé que ele possa ser, verdadeiramente desde o primeiro momento da sua nova vida (Rom. 8:9, Gál. 5:25, Rom. 8:14). Os escritores do Novo Testamento sempre pressupõem que Deus “deu” Seu Espírito Santo aos seus leitores (p. ex., Rom. 5:5, 1 Tess. 4:8; 1 João 3:24; 4:13); não existe uma única passagem na qual eles os exortam a recebê-lo.

Pr.Raul
Pr.Raul
Pastor do Ministério Nascido de Novo e coordenador do Seminário Teológico Nascido de Novo, Youtuber e marido da Irmã Vanessa Ângelo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *