A QUEDA DOS ANJOS MAUS – Teologia Sistemática 2

O Jihad durante a História
18/07/2015
25 – A AUTORIDADE SUPREMA DAS ESCRITURAS – Bibliologia
18/07/2015

A QUEDA DOS ANJOS MAUS – Teologia Sistemática 2

O FATO DA SUA QUEDA

Tudo nos leva a crer que os anjos foram criados em estado de perfeição. No capitulo 1° de Gênesis, lemos sete vezes que o que Deus havia feito era bom. No ultimo versículo deste capitulo lemos “Viu Deus tudo o quanto fizera, e eis que era muito bom”. Isso certamente inclui a perfeição dos anjos em santidade quando originalmente criados. Algumas pessoas acham que Ez 28:15 se refere

a Satanás. Se for assim, ele é definitivamente mostrado como tendo sido criado perfeito. Mas diversas passagens mostram alguns dos anjos como maus (Sl 78:49; Mateus25:41; Apocalipse 9:11; Apocalipse 12:7-9). Isto se deve ao fato de terem deixado seu próprio principado e habitação apropriada (Jd 6) e pecado (2 Pe 2:4). Não há duvida que Satanás tenha sido o chefe da apostasia. Is 14:12 e Ez 28:15-17 parece lamentar a sua queda.
A ÉPOCA DE SUA QUEDA

Nas Escrituras não há referência de quando ocorreu a queda dos anjos, mas deixa claro que se deu antes da queda do homem, já que Satanás entrou no jardim na forma de serpente e induziu Eva a pecar (Gênesis3).
A CAUSA DE SUA QUEDA.
De acordo com as Escrituras o universo e a criatura eram originalmente perfeitos. A criatura tinha originalmente a capacidade de pecar ou não. Ela foi colocada na posição de poder fazer qualquer uma das duas coisas sem ser obrigada a optar por uma delas. Em outras palavras, sua vontade era autônoma.
Portanto, conclui-se que a queda dos anjos se deu devido a sua revolta deliberada e auto determinada contra Deus. Grande prosperidade e beleza parecem ser apontadas como possíveis causas. Em Ez 28:11-19, o rei de Tiro parece simbolizar Satanás e diz-se que ele caiu devido a essas coisas. Ambição desmedida e o desejo de ser mais que Deus parecem ser outra causa. O rei da

Babilônia é acusado de ter essa ambição, ele também parece simbolizar Satanás (Is 14.13-14).
Em qualquer um dos casos o egoísmo, descontentamento com aquilo que tinha e o desejo de ter tudo o que os outros tinham, foi a causa da queda de Satanás e de outros anjos que o seguiram.
O RESULTADO DE SUA QUEDA

Todos eles perderam a sua santidade original e se tornaram corruptos em natureza e conduta (Mateus10:1; Ef 6:11-12; Apocalipse 12:9); Alguns deles foram lançados no inferno e estão acorrentados até o dia do julgamento (2 Pe 2:4); Alguns deles permanecem em liberdade e trabalham em definida oposição à obra dos anjos bons (Apocalipse 12:7-9; Dn 10:12,13,20,21; Jd 9); Pode também ter havido um efeito sobre a criação original. A terra foi amaldiçoada ao pecado de Adão (Gênesis3:17-19) e a criação está gemendo por causa da queda (Rm 8:19-22).

Não é improvável, portanto, que o pecado dos anjos tenha tido algo a ver com a ruína da criação original no capítulo 1° de Gênesis; Eles serão, no futuro, atirados para a terra (Apocalipse 12:8-9), e após seu julgamento (1 Co 6:3), no lago de fogo e enxofre (Mateus25:41; 2 Pe 2:4; Jd 6).

OS DEMÔNIOS
As Escrituras não descrevem a origem dos demônios. Essa questão parece ser parte do mistério que rodeia a origem do mal. Porém, as Escrituras dão claro testemunho da sua existência real e de sua posição (Mateus12:26-28). Nos

Evangelhos aparecem os espíritos maus desprovidos de corpos, que entram nas pessoas, das quais se diz que têm demônios. Os efeitos desta possessão se evidenciam por loucura, epilepsia e outras enfermidades, associadas principalmente com o sistema mental e nervoso (Mateus9:33; 12:22; Mc 5:4,5). O indivíduo sob a influência de um demônio não é senhor de si mesmo; o espírito fala através de seus lábios ou emudece à sua vontade; leva-o aonde quer e geralmente o usa como instrumento, revestindo-o às vezes de uma força sobrenatural.

Quando examinam as Escrituras, algumas pessoas ficam em dúvida se os demônios devem ser classificados juntamente com os anjos ou não; mas não há dúvida de que na Bíblia, há ensino positivo concernente a cada um dos dois grupos.

Ainda que alguns falem em “diabos”, como se houvesse muitos de sua espécie, tal expressão é incorreta. Há muitos “demônios”, mas existe um único “diabo”. Diabo é a transliteração do vocábulo grego “diabolos”, nome que significa “acusador” e é aplicado nas Escrituras exclusivamente a Satanás. “Demônio” é a transliteração de “daimon” ou “daimonion”.
A NATUREZA DOS DEMÔNIOS
São seres inteligentes (Mateus8:29,31; 1 Tm 4:1-3; 1 Jo 4:1 e Tg 2:19), possuem características de ações pessoais o que demonstra que possuem personalidade (Mc 1:24; Mc 5:6,7; Mc 8:16; Lc 8:18-31); São seres espirituais (Lc 9:38,39,42; Hb 1:13,14; Hb 2:16; Mateus8:16; Lc 10:17,20); São reputados

idênticos aos espíritos imundos, no Novo Testamento; São seres numerosos (Mc 5:9) de tal modo que tornam Satanás praticamente ubíquo por meio desses seus representantes; São seres vis e perversos – baixos em conduta (Lc 9:39; Mc 1:27; 1 Tm 4:1; Mateus4:3); São servis e obsequiosos (Mateus12:24-27). São seres de baixa ordem moral, degenerados em sua condição, ignóbeis em suas ações, e sujeitos a Satanás.
AS ATIVIDADES DOS DEMÔNIOS

Apossam-se dos corpos dos seres humanos e dos irracionais (Mc 5:8, 11-13); Afligem aos homens mental e fisicamente (Mateus12:22; Mc 5:4,5); Produzem impureza moral (Mc 5:2; Efésios 2:2);

 

Pr.Raul
Pr.Raul
Pastor do Ministério Nascido de Novo e coordenador do Seminário Teológico Nascido de Novo, Youtuber e marido da Irmã Vanessa Ângelo.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *