A Oração Mais Curta de Pedro – Pt. 3

A Oração mais Curta de Pedro – Pt 2
06/12/2013
As escrituras e o pecado
13/12/2013

IV – Outra característica da oração de Pedro é que foi uma oração saturada de sã doutrina: “Senhor, salva-me!”
Não dá a impressão de que Pedro pensou em salva-se a si mesmo do afogamento; não dá impressão de que Pedro pensará que havia nele uma suficiência flutuação natural que lhe poderia manter boiando, ou que poderia nadar até o barco; se não “começando a afundar, gritou, dizendo: “Senhor, salva-me!” Uma das tarefas mais árduas do mundo é fazer que um homem renuncie a toda confiança em si mesmo, e que ore com todo seu coração: “Senhor, salva-me!”
Em vez de fazer isso, diz: “Oh Senhor, não sinto o que deveria sentir; quero sentir mais minha necessidade, quero sentir mais gozo, quero sentir mais santidade”. Vejam que está pondo os sentimentos no lugar da fé; está estabelecendo, por assim dizer, uma rota a qual quer que Deus caminhe, em vez de caminhar no caminho que Deus há sinalizado para todos aqueles que desejam ser salvos.
Outros estão buscando reformarem-se a si mesmos, para se adequarem desta maneira para o céu; e oram em harmonia com essa ideia, e como já era de se esperar, não recebem resposta.
Encanta-me ouvir orações como esta: “Oh Senhor, eu não posso salvar-me a mim mesmo; e não te peço que me salves da maneira que eu prescreva; Senhor, salva-me de qualquer maneira, somente salva-me! Basta-me com ser salvo pelo precioso sangue de Jesus! Basta-me ser salvo pela obra regeneradora do Espírito Santo. Sei que devo nascer de novo se hei de entrar no céu. Revive-me, oh Espírito sempre bendito! Eu sei que devo renunciar a meus pecados. Senhor, eu não quero conservá-los; te suplico humildemente que me salve de meus pecados por Tua graça. Eu sei que só Tu podes fazer esta obra; eu não posso sequer levantar um dedo para ajudar nela; então, salva-me, Senhor, por Tua grande misericórdia!”
Esta é uma saudável verdade doutrinal; a salvação em tudo é por graça, não do homem nem levada a cabo pelo homem; “Os quais não nasceram do sangue, nem da vontade da carne, nem da vontade do homem, mas de Deus.”; é a salvação de acordo com o propósito eterno de Deus, pela obra eficaz do Espírito Santo, através do sacrifício substitutivo de Jesus Cristo. Quando um pecador está disposto a aceitar a salvação nos termos de Deus, então a oração sobe aceitavelmente até o Altíssimo: “Senhor, salva-me!”
V – Notem também que a oração de Pedro foi uma oração muito pessoal: “Senhor, salva-me!”
Nesse instante, Pedro não pensou em nada mais; e quando uma alma está preocupada por seus interesses eternos, seria conveniente, à princípio, que limitasse seus pensamentos a pensar em si mesma, e a orar: “Senhor, salva-me!” E na vida
posterior do cristão, virão momentos em que neles seria melhor, por um tempo, esquecer a todo o demais e orar simplesmente :” Senhor, salva-me!”
Temos aqui uma grande congregação, reunidos juntos por muitos motivos diferentes; e, talvez, algumas pessoas aqui que não estão pessoalmente interessadas em Cristo, esperam vagamente que Deus abençoe alguém nesta assembleia; porém, se o Espírito Santo começar a fazer a obra no coração e na consciência de um indivíduo, a pessoa convicta começará a orar: “Senhor, salva-me!” Sei de muitas pessoas que estão sendo levadas a Jesus, todavia, Senhor, salva-me a mim . Minha amada irmã foi convertida e tem feito uma profissão de sua fé; contudo, Senhor, salva A MIM. Tive uma mãe piedosa, que já foi para casa, na glória; e meu amado pai está caminhado em Teu temor; não permite que seu filho seja um excluído; Senhor, salva-me!”
Eu suplico a cada pessoa aqui presente que ore esta oração pessoal, e rogo a aqueles que amam ao Senhor, que se unam a minha intercessão ante Ele para que assim suceda. Eu vejo a uma mocinha por ali; não quererá cada uma de vocês, minhas amadas jovens, fazer subir aos céus essa oração? Peço ao Espírito Santo que as conduzas a clamar: “Senhor, salva a Anita!”, ou: “Senhor, salva a pequena Maria!”, e de igual modo, vocês garotos, sejam levados a orar: “Senhor, salva ao Tomás!”, ou: “Senhor, salva a Memo!”
Ore por ti mesmo precisamente dessa maneira simples e quem sabe que benção pode vir? Então vocês, mães, não deixarão que seus filhos orem por eles mesmos, enquanto vocês permanecem sem levantar suas orações? Acaso não clamará cada uma de vocês: “Senhor, salva-me!”? Vocês, obreiros, a quem me dá gosto em ver no serviço noturno durante a semana, não vão embora sem antes apresentar suas próprias petições pessoais.
O apóstolo Pedro teve que orar por si mesmo; os mais eminentes servos de Deus tiveram que orar por eles mesmos; e vocês têm que orar por vocês mesmo. Ainda que todos os santos de Deus fossem orar por ti enquanto vivas, com uma só voz, você não seria salvo, a menos que clamasse também a Deus por ti próprio. A religião é um assunto pessoal; não há coisa como uma religião mediante ortogamento de poderes. Vocês devem arrepender-se por vocês mesmos, e devem orar por vocês mesmos, e crer por vocês mesmos, se é que querem ser salvos. Que Deus lhes conceda que façam isto!
VI- Quero que notem, posteriormente, que a oração de Pedro foi uma oração muito urgente: “Senhor, salva-me!”
Pedro não disse “Senhor, salva-me amanhã”, ou ” Senhor, salva-me dentro de uma hora”. Ele estava ” começando a afundar”; as ondas famintas já haviam aberto suas bocas para tragá-lo, e prontamente Pedro teria perecido. Só teve tempo de gritar ” Senhor, salva-me!”, mas, sem dúvida, quis dizer: ” Senhor, salva-me agora, pois agora estou em perigo de afogar-me. Senhor, salva-me, pois, se te demoras, afundarei até o fundo do mar” . ” E logo Jesus, estendendo a mão, segurou-o” e assim o salvou.
Há muitas pessoas que desejariam que Jesus as salvasse, mas, quando? Ah! Esse é um ponto que elas não têm decidido! Um jovem disse: “gostaria que Cristo me salvasse quando ficar velho, quando já tenha visto mais um pouco da vida”. Quer dizer, até quando tenha visto muito mais da morte, pois isso é tudo o que verá no mundo; não há vida verdadeira ali, fora a que é realmente em Cristo Jesus. Muitos homens, lá para metade de suas vidas, tem dito: ” Pretendo converter-me cristão antes que morra, contudo nesse momento não”. Estão muito ocupados para
buscar ao Senhor, porém a morte tem buscado eles sem nenhuma advertência; e, ocupados ou não, eles tem que morrer estando totalmente desprevenidos para tal fato.
Há esperança para um pecador quando ora: “Senhor, meu caso é urgente, salva-me agora! O pecado , como uma víbora, há grudado em mim; Senhor, salva-me agora de seu veneno mortal. Eu sou culpado agora, e já estou condenado , porque não tenho crido em Jesus; Senhor, salva-me agora, salva-me da condenação; salva-me do condenador pecado da incredulidade! Senhor, até onde sei, estou a beira da morte, e estou em perigo do inferno assim como da morte enquanto permaneça sem perdão. Portanto, te peço que agrade-Se de permitir que se apressem as rodas da carruagem da misericórdia, e salva-me neste instante, oh Senhor”.
Eu tenho conhecido a alguns que tem submergido tão profundamente da influência do Espírito Santo, que tem se ajoelhado junto a suas camas, e dito: “Não daremos sono aos nossos olhos , nem as nossas pálpebras o direito de dormir, até que encontremos ao Salvador”, e em breve, Tem encontrado a Ele. Afirmam: “lutaremos em oração até que nossa carga de pecado tenha sido tirada”; e havendo alcançado essa determinação, não passou muito tempo antes que obtivessem a bênção que desejaram.
Quando nenhuma outra coisa tem sucesso, a importunação seguramente prevalecerá. Quando você estiver disposto a não aceitar uma negativa de Deus, não aceitará a uma reposta negativa; porém, enquanto estiver satisfeito de ser condenado, seguirá sem ser salvo. Quando clames com toda urgência que seja capaz: “devo ter a Jesus, ou morrerei; tenho fome, sede, enormes desejos e ânsias por Ele, como o cervo deseja pelas correntes das águas”; não passará muito tempo antes que chegue
esse tesouro incalculável em teu coração, e digas: “Jesus é meu Salvador; eu já tenho crido Nele”.
VII- Por último, recordarei que a oração de Pedro foi uma oração efetiva: “Senhor, salva-me!”, e Jesus lhe salvou.
Poderia haver consolo para algum dos que estão presentes, ao pensar que, ainda que esta foi a oração de um homem afligido, de um homem em quem havia uma mescla de incredulidade e fé , no entanto, teve êxito. As imperfeições e as debilidades não impedirão que a oração triunfe, se essa é sincera e honesta. Jesus disse a Pedro “Homem de pouca fé! Porque duvidaste?”, o que nos mostra que, efetivamente, Pedro duvidou; todavia, também havia nele um pouco de fé, pois cria que Cristo podia salvar-lhe da tumba líquida.
Muitos de nós, também, somos uma estranha mistura, igual que foi Pedro. O arrependimento e a dureza de coração podem ocupar cada uma delas, uma parte de nosso ser, e a fé poderia estar em nosso coração, juntamente com uma medida de incredulidade, tal como sucedeu com o homem que disse a Jesus: “Creio, ajuda minha incredulidade.” Alguns de vocês sentem que querem orar e, no entanto, não podem fazer-lo? Tu quiseras crer, mas há outra lei em teus membros que te detêm. Quiseras fazer uma oração eficaz, como a oração de Elias, sem nunca titubear diante da promessa por culpa da incredulidade; contudo, de alguma maneira ou outra, não pode explicar por que não pode chegar a essa oração. Não renunciará, contudo, à oração; você sente que não poderia fazer isso. Ficará um bom tempo ante o propiciatório, ainda quando não podes prevalecer ante Deus na oração.
Ah, alma querida! É uma grande misericórdia que Deus não julgue sua oração pelo que é em si mesma. Ele a julga
inteiramente de outro ponto de vista. Jesus a toma, a refaz, lhe agrega o mérito de Seu próprio sangue precioso, e então, quando apresenta a oração ao Pai, a oração já está tão mudada, que você mesmo dificilmente poderia reconhecer-la como tua petição. Dirias: “A duras penas posso crer que essa seja minha oração, pois Cristo a tem modificado e melhorado grandemente!” Tem sucedido com vocês o que sucede as vezes com a pobre gente que esta sumida na aflição como efetivamente sucedeu a alguém que conheci faz algum tempo.
Uma boa mulher queria que eu enviasse uma petição a um certo departamento do governo, concernente a seu marido que havia morrido, e por esse motivo necessitava conseguir ajuda. Ela elaborou a petição, e me trouxe. Uma palavra de cada dez estava bem escrita, e a composição inteira era inapropriada para ser enviada. A senhora queria que eu agregasse meu nome a petição, e que a enviasse por correio. Assim o fiz; mas primeiro escrevi de novo todo o pedido, conservando o tema da petição como ela expressou, contudo alterando a forma e o vocabulário usado. Isso é o que nosso bom Senhor e Mestre faz por nós, só que em um sentido infinitamente mais elevado; Ele escreve de novo nossa petição, incorpora nela Sua própria assinatura real, e quando o Pai vê isso, concede a petição de imediato. Uma gota do sangue de Cristo impregnada numa oração há de fazer-la prosperar.
Então, regressem para casa, vocês, que estão carregados com dúvidas e temores, que são molestados por Satanás. Vocês, que estão afligidos pela lembrança de seus próprios pecados; apesar de tudo aquilo, acudam à Deus, e digam-Lhe: “Pai, tenho pecado contra o céu e contra Ti” , e peçam-lhe perdão, e recebam Seu perdão. Sigam orando de uma maneira semelhante a esta: “Senhor, salva-me. Tu estás intercedendo no céu pelos transgressores; Senhor, intercede por mim”. Não esperem
até chegar em casa, antes, orem ai mesmo onde se encontram sentados: ” Senhor, salva-me!” Que Deus dê graça a cada um aqui presente para que eleve essa oração desde seu coração , por Jesus Cristo nosso Senhor! Amém.

Pr.Raul
Pr.Raul
Pastor do Ministério Nascido de Novo e coordenador do Seminário Teológico Nascido de Novo, Youtuber e marido da Irmã Vanessa Ângelo.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *