A Oração mais Curta de Pedro – Pt 2

A Oração mais Curta de Pedro – Pt 1
05/12/2013
A Oração Mais Curta de Pedro – Pt. 3
07/12/2013

“No quanto que a lâmpada se mantenha ardendo
O pecador mais vil pode regressar”
E o mais vil pecador que regressar, descobrirá que Deus é capaz de salvar-lhe e está disposto a salvar-lhe. Não creiam nunca nessa mentira de Satanás que diz que a oração não prevalecerá diante de Deus. Basta que vá, como o fez o publicano, golpeando e clamando: “Deus, se propício a mim, pecador”, e tenha a segurança de que Deus está te esperando para ser clemente contigo.
Não posso evitar sentir que a breve e sincera oração de Pedro foi expressa em um tom de voz sumamente natural: “Senhor, salva-me!” Devemos orar sempre da maneira que nos dite o Espírito de Deus, e tal como a intensa aflição e humilhação de nosso coração nos sugiram naturalmente. Muitas pessoas que oram em público adquirem o hábito de usar certas tonalidades na oração que são tudo, exceto naturais, e eu temo que algumas pessoas não podem orar de maneira natural, inclusive no âmbito privado. Qualquer linguagem que não seja natural é má; o melhor tom é aquele que o homem usa quando está falando sinceramente, e quer dizer o que diz, e essa é a maneira correta de orar. Fale como se tivesse a intenção de dizer assim mesmo; não fale gemendo, nem fingindo, nem entoando, mas sim, derrama sua alma da maneira mais simples e natural que possa!
Pedro se encontrava em um perigo extremamente grande para incorporar alguma linguagem sutil à sua oração; estava muito consciente de seu perigo para considerar como poderia estruturar suas palavras em um todo coerente; pelo contrário, somente expressou o forte desejo de sua alma da maneira mais sincera possível: “Senhor, salva-me!”; e essa oração foi ouvida, e Pedro foi salvo de afogar-se, tal como um pecador será salvo do inferno se pode orar da mesma maneira.
I – Agora, abordando a própria oração de Pedro, e sugerindo que se trata de uma oração adequada para todos que sejam capazes de elevar algum tipo de oração, minha primeira observação a respeito é que foi uma oração muito breve.
Creio que a excelência da oração é, frequentemente, na sua concisão. Haverão notado a extrema brevidade da maioria das orações que foram preservadas na Bíblia. Uma das orações mais longas é a oração de nosso Salvador, registrada por João, que teria tomado, suponho eu, cerca de uns cinco minutos; e a
oração de Salomão, motivada pela dedicação do Templo, que pode ter tomado uns seis minutos. Quase todas as demais orações registradas na Bíblia são muito breves; e provavelmente, em nossos serviços públicos de oração, oramos muito mais largamente do que todas essas orações juntas e somadas! Isto poderia ser uma desculpa, talvez, quando há muitas petições que serão apresentadas por uma pessoa em nome de uma numerosa congregação; todavia, em nossas reuniões de oração, onde participam muitas pessoas, estou seguro que, quanto mais comprida for oração, pior será.
Claro que existe exceções a esta regra. O Espírito de Deus as vezes inspira um homem de tal modo que, caso ele se mantenha orando por toda a noite, seria uma alegraria nos juntar à ele nesse santo exercício. Contudo, como regra geral, não faz essas coisas. Há alguns que oram mais longamente quando tem menos coisas que dizer, e só continuam repetindo certas frases piedosas, que quase perdem o significado pela monótona repetição.
Queridos amigos, quando estiverem orando, seja em público ou em particular, recordem-se que vocês não têm necessidade de ensinar ao Senhor um sistema de teologia; Ele sabe muito mais acerca disso que vocês! Vocês não tem nenhuma necessidade de explicar ao Senhor toda a experiência que um cristão deve ter, pois Ele o sabe muito melhor que vocês. E não há necessidade de voltar a repetir sempre as diversas agências, e instituições e tempos de missões. Digam ao Senhor o que está em seus corações, tão brevemente seja possível, para poder assim deixar tempo e oportunidade para que outras pessoas façam o mesmo.
Pergunto-me se há alguém que diz: “não tenho tempo para oração”. Querido amigo, atreve-se a abandonar seu quarto pela manhã sem ajoelhar-se diante de Deus? Pode se arriscar a fechar
teus olhos à noite, e mostrar no seu rosto a imagem da morte, sem primeiro encomendar-se à custódia de Deus durante as horas de inconsciência do sono? Não entendo como podes levar uma vida tão despreocupada como essa! Contudo, certamente, não quis dizer, realmente, que não tinha tempo para oferecer uma oração como a súplica de Pedro: “Senhor, salva-me”. Quanto tempo tomou essa oração? Ou quanto tempo toma esta: “Deus, se propício a mim, pecador”? Se você se desse conta da sua verdadeira condição aos olhos de Deus, encontraria o tempo necessário para orar de uma maneira ou de outra, pois sentiria que deve orar.
Quando Pedro começou afundar, nunca ocorreu-lhe que não tinha tempo para a oração. Sentiu que deveria orar; seu sentido de perigo lhe forçou implorar a Cristo: “Senhor, salva-me”. Se você sentir como deveria sentir, seu sentido de necessidade lhe conduzirá a oração, e nunca mais dirá: “não tenho tempo para oração”. Não é tanto um assunto de tempo, mas um assunto de coração; se tens um coração para orar, encontrarás tempo para tal!
Exorto-lhes a cultivar o hábito de orar com brevidade durante todo o dia. Já lhes comentei anteriormente sobre do puritano que, em um debate, foi visto tomando notas, e quando essas notas foram posteriormente examinadas, descobriu-se que não havia nada mais escrito no papel, a não ser as palavras; “Mais luz, Senhor! Mais luz Senhor! Mais luz Senhor!” Necessitava de luz sobre o tema em discussão, portanto, pedia ao Senhor, e essa é a maneira de orar. Você pode orar durante o dia :” Senhor, dá-me mais graça. Senhor, sujeita meu temperamento. Diz-me,oh Deus, o que haverei de fazer neste caso! Senhor, dirigi-me. Senhor, salva-me!” Orem desta maneira, e estarão imitando o bom exemplo de brevidade na oração que nosso texto coloca ante nós.
II – Notem, continuando, que ainda que a oração de Pedro tenha sido muito breve, foi maravilhosamente inclusiva, e adaptada para ser usada em muitas ocasiões diferentes: “Senhor, salva-me!”. Essa oração cobria todas as necessidades de Pedro naquele instante, e poderia ter servido-lhe pelo tanto que ainda vivesse.
Quando seu Mestre disse-lhe que Satanás havia pedido para cirandá-lo como trigo, poderia ter orado igualmente: “Senhor, salva-me”. Quando negou seu Mestre, e saiu chorando amargamente, teria sido bom ele orar: “Senhor, salva-me”. Quando posteriormente saiu de um lado a outro pregando o Evangelho, também poderia orar: “Senhor, salva-me”; e quando, ao fim, foi levado para ser crucificado, por causa de Cristo, dificilmente teria que encontrar uma melhor oração para concluir sua vida do que esta: “Senhor, salva-me”.
Agora, assim como Pedro encontrou que essa oração era muito apropriada para ele, eu recomendo ela para cada um de vocês. Você esta ficando rico ultimamente? Será tentado a converter-se em altivo e mundano; então, ora: “Senhor, salva-me dos males que acompanham as riquezas, com tanta frequência; Tu estás me dando esta riqueza: ajuda-me para que seja um bom tesoureiro para ela, e que não a converta em um ídolo”. Ou, está ficando pobre? Seu negócio é um fracasso? Suas escassas economias estão acabando? Bem, há perigos vinculados a pobreza; então ore: “Senhor, salva-me de trasnforma-me em um invejoso e de estar descontente; concede-me que esteja disposto a ser pobre em vez de fazer qualquer coisa má para ter dinheiro”.
Sentes querido amigo, que não está vivendo tão perto de Deus como fizestes uma vez? Está ficando notória em ti a influência congeladora do mundo? Então, ore: “Senhor, salva-me”. Caiu em algum pecado que teme que possa acarretar uma desonra
para sua confissão? Bem, então, antes que esse pecado cresça, clame: “Senhor, salva-me”. Tem aproximado-se de algum lugar onde seu pé está muito perto de resvalar? O precipício esta na sua frente, e sente que se algum poder mais forte que você não interviesse, cairia, e sofreria um dano severo, se é que não a total destruição! Então, imediatamente, entoa a oração: “Senhor, salva-me!”
Eu posso recomendar-te essa oração quando está em meio de um mar tormentoso, e também será igualmente adequada para ti enquanto estiver em terra firme: “Senhor, salva-me”. Posso recomendar – lá como uma oração apropriada para você quanto estiver próximo das portas da morte, e, contudo, é muito adaptada a ti quando gozas de uma vigorosa saúde: “Senhor, salva-me!” E se puder agregar a oração: “Senhor, salva a meus filhos, e a meus parentes, e meus vizinhos”, seria ainda melhor! Apesar disso, para você pessoalmente, é uma admirável oração para que leve consigo por onde quer que vá: “Senhor, salva-me!”
III – A oração de Pedro tem uma terceira excelência: Era muito direta. De nada teria servido a Pedro, justo ai, ter usado os muitos título que validamente pertencem a Cristo, ou ter começado a pedir mil coisas; Pedro foi direto ao tema de sua imediata necessidade, e clamou: “Senhor, salva-me!”
Quando um de nossos queridos amigos, que recentemente foi ao céu, encontrava-se muito enfermo, um de seus filhos orou com ele. Começou de uma maneira muito formal: “Pai Todo Poderoso, Criador do céu e da terra e Criador nosso “. Porém o doente o deteve e disse ” meu querido garoto, eu sou um pobre pecador, e necessito da misericórdia de Deus, de: Senhor, salva-me!”O moribundo necessitava que seu filho fosse ao ponto, e eu me identifico com ele; pois, com frequência, quando alguns de
nossos amados irmãos são encontrados orando , e andam com rodeios, eu teria desejado que fossem ao essencial, e que pedissem por aquilo que realmente necessitavam. Seguem dando voltas em redor da casa, em vez de bater na porta e tratar de entrar. A oração de Pedro nos mostra como ir direto ao coração do assunto: “Senhor, salva-me!”
Muitas pessoas deixam de receber respostas a suas orações porque não vão direto a Deus, e não confessam os pecados que tem cometido. Havia um membro de uma igreja cristã que, em uma ocasião, caiu muito vergonhosamente através da bebida. Estava muito contrito, e pediu ao seu pastor que orasse por ele; porem não queria revelar qual havia sido seu pecado. O pastor orou, e logo pediu ao irmão que ele mesmo orasse. O pobre homem disse: “Senhor, Tu sabes que tenho errado, e que tenho feito o mal”, e seguiu dessa maneira, fazendo uma sorte de confissões generalizadas. Todavia, isso não trouxe-lhe paz a sua mente. Sentiu que não podia retirar-se dessa maneira, então, se colocou-se de joelhos de novo, e disse: “Senhor, Tu sabes que eu estava bêbado; o pecado que cometi foi muito vergonhoso, e estou em verdade muito afligido por ele; Oh Senhor! perdoe-me por meio de Jesus!” , e antes de que sua oração tivesse terminado, havia encontrado paz, porque tinha confessado claramente seu pecado à Deus, e já não tratou de oculta-lo mais.
Lembrem-se que Davi não podia ter nada da paz até que foi ao ponto e orou: “Livra-me de homicídios, oh Deus. Deus de minha salvação”. Antes disso, havia tratado de ocultar seu grave pecado; contudo, não existiu repouso para sua consciência até que fez uma confissão plena de sua culpa, e depois disso, Davi pode dizer: ” Os sacrifícios á Deus são o espírito quebrantado; o coração contrito e humilhado não desprezarás Tu, oh Deus”
Nossas orações, sejam feitas por nós mesmos, ou por outros, e especialmente nossas confissões de pecado, tem que ir diretamente ao essencial, e não devemos rodear. Se qualquer um de vocês tem usado de formas de oração que não tem alcançado nenhuma resposta para suas súplicas, deixe-as todas de lado, e simplesmente devem ir e dizer ao Senhor, claramente , o que precisam. Sua oração será provavelmente algo como isso: “Oh Deus! Sou um pecador! Tenho sido negligente acerca das coisas divinas; tenho escutado o Evangelho, porém não o tenho obedecido. Senhor, perdoa-me, salva-me, faz-me Teu filho, e concede-nós que eu e minha casa sejamos Teus para sempre”. Essa é a forma de orar para que Deus os ouça e lhes responda.

Pr.Raul
Pr.Raul
Pastor do Ministério Nascido de Novo e coordenador do Seminário Teológico Nascido de Novo, Youtuber e marido da Irmã Vanessa Ângelo.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *